ARGENTINA - 2ª GUERRA MUNDIAL: A MAIOR REUNIÃO DE NAZISTAS FORA DA EUROPA - 1938!!!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ARGENTINA - 2ª GUERRA MUNDIAL: A MAIOR REUNIÃO DE NAZISTAS FORA DA EUROPA - 1938!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Sex Set 29 2017, 20:42

Compartilho com os colegas, "A maior reunião de nazistas fora da Europa - Buenos Aires/Argentina - 1938".


                                    A MAIOR CONCENTRAÇÃO DE NAZISTAS FORA
                                    DA ALEMANHA OCORREU NA... ARGENTINA!!!

Buenos Aires sediou em 10 de abril de 1938, o maior evento nazista da América do Sul e o maior fora da Europa, quando pela eficiente organização do embaixador alemão na Argentina, reuniu mais de 20 mil partidários do nazismo alemão para comemorar o "Anschluss", ou seja, a anexação da Áustria pelo regime nazista. O evento aconteceu no Estádio Luna Park. O vice-cônsul americano W.F. Busser, que presenciou o evento, relatou que todos os rituais executados nos cerimoniais alemães foram cumpridos, desde o hino do partido Nazista até o vestuário dos participantes. A Juventude Argentina Fascista - Alianza de la Juventud Nacionalista - usava sua tradicional farda cinza e muitos trajavam os uniformes da Juventude Hitlerista. O evento centrou-se nos oradores políticos propagando os ideais do nazi-facismo. Da Alemanha, Hitler tentou seduzir os argentinos publicando no jornal La Prensa: "Através do jornal La Prensa, envio meus cordiais cumprimentos à imprensa argentina e aos alemães da Argentina". O fervor de milhares de argentinos pelas "promessas" do nazismo e seu líder "cativante", no entanto, não era devido à falta de informações sobre o que realmente acontecia na Alemanha. Em 1936, a imprensa argentina informou que Hitler estava buscando "aniquilar com os meios mais abomináveis, a população de judeus laboriosa e inteligente". No entanto, de acordo com os registros históricos, a Alemanha estava prestes a expandir suas conquistas na América do Sul com a Argentina como um aliado poderoso: 70 mil argentinos estavam filiados ao Partido Nacional Socialista Alemão, muitos dos quais no dia 10 de abril moravam no coração de Buenos Aires. De acordo com o jornal La Prensa, nesse domingo, 10 de abril de 1938, as colunas de simpatizantes ao nazismo começaram a chegar ao Estádio Luna Park às 9 horas da manhã. "Foi um grande público entusiasmado". As delegações austríaca e alemã chegaram vestindo suas roupas nazistas e bandeiras. Dentro do Estádio, o palco estava adornado com bandeiras alemãs com a suástica e da Argentina, destacando, também, a inscrição "Heil Führer". "Muitos membros das entidades nazistas, que usavam camisas marrons e braceletes com a suástica, estavam encarregados de organizar o público em uma ordem quase militar", informou La Prensa. O delegado comercial da embaixada alemã, Erich Otto Meynen, em seu discurso empolgante, fez o público responder "Heil Führer!", saudação tradicional nazista com a parte superior do braço. Meynen destacou a anexação da Áustria "sem violência ou sangue" e "o afeto dos austro-alemães em relação à Argentina", que definiu como um "país hospitaleiro no qual, eles se sentem confortáveis ​​e orgulhosos de se abrigarem sob suas instituições e bandeira". Dias depois, uma manifestação anti-nazista, resultou em duas mortes e 57 feridos. O presidente Roberto Marcelino Ortiz, criou uma comissão especial que investigaria as atividades "ilegais" de organizações estrangeiras, que incluíam o doutrinamento de crianças em escolas no país, entre outras coisas. Além disso, decretou a dissolução do Partido Nacional Socialista Alemão da Argentina e decidiu a expulsão de dois espiões da Gestapo. Dezesseis meses após o evento no Estádio Luna Park, começava a Segunda Guerra Mundial, a maior e mais sangrenta guerra na história da humanidade que acabou na derrota da Alemanha nazista de Hitler. Mas o "caso" entre a Argentina e o nazismo, no entanto, não acabou com a queda de Hitler. Sabe-se que após o conflito, e durante o primeiro governo de Juan Perón, a Argentina e vários países sul-americanos, atrairam alemães mais célebres em vários campos da ciência e engenharia. Ao mesmo tempo entre 1945 e 1950, chegaram um grande número de criminosos de guerra nazistas. De acordo com algumas fontes de 6 a 8 mil "refugiados". Dentre os quais, o criminoso croata Dinko Satic, o médico Joseph Mengele, Adolf Eichmann, Eric Priebke e tantos outros. Seria o próprio Priebke que admitiria em um julgamento em Roma, que "em 1945, o governo nacional (argentino) negociou com a Alemanha a entrega de documentação que permitiu a entrada de nazistas. Cerca de 2 mil passaportes e 8 mil cédulas em branco foram distribuídas". Com isto, cerca de 2 mil nazistas entraram na Argentina". Enquanto isso,  Adolf Eichmann, o idealizador da "solução final do problema judeu", entrou na Argentina com um passaporte italiano falso em nome de Riccardo Klement em 1950, instalando-se em Buenos Aires e até chegou a tabalhar na fábrica local da montadora Mercedes Benz. Ao rever as páginas da história da "Argentina nazista", entende-se por que ela decaiu como nação, pois no início do século XX chegou a ser a número oito no mundo dos países desenvolvidos. A saga de golpes e ditaduras civis e militares - com a reação previsível das guerrilhas - levou o país a bancarrota.


SELO SIMBOLIZANDO: ALEMÃO E AUSTRÍACO COM
A BANDEIRA NAZISTA.


CARIMBO COMEMORATIVO ANEXAÇÃO DA ÁUSTRIA - 10/04/1938.


NAZISTAS ARGENTINOS COMEMORAM ANEXAÇÃO DA ÁUSTRIA NO ESTÁDIO LUNA PARK - BUENOS AIRES.


NAZISTAS ARGENTINOS COMEMORAM ANEXAÇÃO DA ÁUSTRIA EM 10 DE ABRIL DE 1938.


ESTÁDIO LUNA PARK ESTAVA LOTADO DE NAZISTAS.


O EMBAIXADOR ALEMÃO ESTEVE PRESENTE NA REUNIÃO NO ESTÁDIO LUNA PARK.
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 61
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum