ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: A BATALHA DE SMOLENSK - 1941!!!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: A BATALHA DE SMOLENSK - 1941!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Sab Ago 26, 2017 5:11 pm

Compartilho com os colegas, "A Batalha de Smolensk - 1941".

                                                 A BATALHA DE SMOLENSK.

A batalha de Smolensk teve inicio em 10 de julho de 1941, quase duas semanas após a invasão da União Soviética por parte da Alemanha. Foi a primeira grande batalha da guerra no leste, depois das operações que se seguiram na surpresa do inicio da Operação Barbarossa. Ela constituiu, também, numa tentativa falha por parte do Exército Vermelho para contra-atacar e de impedir os alemães de chegarem nas cercanias de Moscou. No inicio de julho, os generais soviéticos já tinham entendido que a ofensiva alemã se dividia em três frentes distintas e que o objetivo da frente central alemã era Moscou. Com isso em mente, os generais soviéticos tentam organizar rapidamente um plano de resposta com o objetivo de pelo menos atrasar a ofensiva, dado que as principais forças da frente central, se lançavam em 1 de julho em duas direções distintas sobre a cidade de Smolensk, com o objetivo de tomar a principal estrada entre a capital da Bielorússia, Minsk (já em mãos alemãs) e Moscou. Em 1 de julho, após dez dias de combates, as avançadas divisões blindadas Panzer avançaram 320 quilômetros no norte, 450 a 500 quilômetros na frente central e apenas 100 quilômetros na frente sul. Na frente central, embora avançando velozmente, as forças alemãs estavam atrasadas por causa do grande bolsão de forças soviéticas cercadas na região de Minsk, a qual teve que ser destruída, atrasando as forças alemãs, necessárias para apoiar o avanço dos blindados. Após a reorganização das forças alemãs, uma nova ofensiva toma forma na região da frente central e rapidamente se entende quais são seus objetivos. No dia 10 de julho de 1941, as tropas de assalto do grupamento Panzer IV, do General Guderian, iniciaram o cruzamento do rio Dnieper, ao sul da cidade de Smolensk. Ao norte, as colunas de tanques do grupamento Panzer III, capitaneadas pelo General Hoth, redobraram seus ataques e avançaram em direção a Smolensk, com o fim de cercar pela retaguarda as unidades russas que combatiam contra as forças de Guderian. No dia 13 de julho, a 29a Divisão Motorizada, comandada pelo General von Boltenstern, penetrou profundamente através das posições russas e, enfrentando duros combates, aproximou-se a poucos quilômetros de Smolensk. Pela primeira vez desde o início da campanha, as tropas alemães viram-se diante de uma crítica falta de munições. As bases de abastecimento se achavam agora a 500 km, à retaguarda, e o serviço de abastecimento, tendo que enfrentar inúmeras dificuldades, já não podia cumprir adequadamente sua missão. Avançando do norte, o grupamento Panzer III cortou, no dia 15, a estrada principal para Moscou e conseguiu, desta maneira, cercar, sobre as margens do rio Dnieper, mais de 300.000 soldados soviéticos. Ao sul, as unidades de Guderian continuaram pressionando em direção a Smolensk e, em 16 de julho, as tropas de assalto da 29a Divisão Motorizada penetraram na cidade. O movimento de "pinça" tradicional alemão de batalha estava fechando e dentro desta armadilha estava uma enormidade de soldados russos e material bélico a disposição dos alemães. Alguns dias antes, tinham chegado na região alguns tanques T-34 que foram utilizados pelo Gen. Eremenko para atacar a 18ª Div.Panzer. Os tanques alemães em luta ferrenha e com extrema dificuldade, resistem à tentativa russa de os fazer recuar para o outro lado do rio. Só a superioridade técnica do material alemão e o treinamento superior dos soldados alemães, impedem que os russos consigam inverter, ali mesmo, após alguns dias do inicio do conflito, o curso da guerra. A batalha de Smolensk, contribuiu ainda para que os russos fizessem o primeiro teste real do seu sitema de lançamento de foguetes, conhecido como "Katyusha". Em 14 de julho de 1941, uma bateria de artilharia experimental "Katyusha" com sete lançadores de foguetes foi usada pela primeira vez na batalha em Rudnya, sob o comando do capitão Ivan Flyorov, destruindo uma concentração de tropas alemãs com tanques, veículos blindados e caminhões, causando enormes baixas no exército alemão e sua retirada da cidade em pânico. É, também em Smolensk, utilizada uma mistura de gasolina com um produto químico disponível em grandes quantidades de uma fábrica da região e são distribuídas 10.000 garrafas do que ficaria conhecido como "coquetel Molotov", uma bomba incendiária artesanal. Mas estas soluções eram apenas improvisos que não conseguem impedir o avanço impiedoso dos alemães. Em 16 de julho, o avanço alemão atinge Smolensk, que é tomada pelas forças do Gen. Guderian e o cerco das unidades soviéticas fica quase completo. A imprensa alemã anuncia em alto e bom tom: três exércitos russos foram destruídos, caíram em mãos dos alemães cerca de 300.000 prisioneiros russos e uma enorme quantidade de material que se estimam em 3.100 canhões e 300 tanques. Os alemães afirmam que esta vitória abre o caminho para Moscou e é uma vitória sem precedentes nos anais da História Militar. Mas ao contrário do noticiado e esperado, as coisas não vão ocorrer como previsto pelos generais alemães mais otimistas. Na realidade, embora a 16 de agosto estejam efetivamente prestes a ser cercadas várias divisões russas, a dificuldade e o desgaste das forças alemãs começam a tornar-se evidente. Em 18 de julho, as forças alemães da "pinça norte", que se moviam muito mais devagar numa região pantanosa, estão ainda a 16Km de fechar o bolsão, enquanto os russos lutam desesperadamente para evitar o fechamento do cerco. Embora tudo levasse a crer que os exércitos soviéticos iriam ficar completamente cercados, só a 26 de julho as forças alemãs conseguem vencer os 16Km que as separavam. O "fecho do bolsão de Smolensk" foi uma meia vitória para os alemães. Depois de 26 de julho e até 10 de setembro, as forças alemãs ocuparam-se na limpeza do bolsão cercado, mas na verdade, embora um grande numero de prisioneiros fossem feitos, uma grande quantidade do efetivo das forças soviéticas tinham conseguido escapar ao cerco, juntando-se ao grosso das forças russas. A estrada para Moscou estava aberta para os alemães, mas o enorme esforço e desgaste a que as forças do III Reich foram submetidas em Smolensk, não só desgastou as forças alemãs, mas deixou mais de 200.000 russos escapar para continuar a lutar. A batalha de Smolensk durou praticamente dois meses e quando acabou,  mais de 93% da cidade tinham sido destruída e, também, tinha chegado o outono, a "Rasputitsa", tornando as estradas enlameadas e de difícil circulação, devido aos atoleiros e a chegada alemã até Moscou em 22 de outubro de 1941, como previsto, era uma "miragem" que até Hitler sabia que não poderia ser cumprida. Embora o Exército Soviético viesse ainda a sofrer grandes derrotas, a batalha de Smolensk demonstrou aos generais russos que embora com grandes sacrifícios, era pelo menos possível atrasar o avanço alemão. Mas estas soluções eram apenas improvisos, que não conseguem impedir o avanço dos alemães União Soviética a dentro no início da Operação Barbarossa.
                                                              Notas:

1)
Era na frente sul que se encontravam as unidades blindadas soviéticas com maior poder de fogo e melhor treinadas. Mesmo assim, os tanques estavam equipados com munição adequada para apoio de infantaria e não com munição para perfurar blindagem, pelo que os famosos T-34, embora quase imunes aos tanques alemães, não tinham outra solução que não fosse arremeter contra os canhões da infantaria alemã para esmagar com as lagartas os soldados alemãs que os guarnecia.
2)
Um general alemão escrevera nas suas memórias que na realidade foi na batalha de Smolensk, que a ideia da "Blitzkrieg ou Guerra Relâmpago" como tática de sucesso, faliu. Hitler nunca percebeu que a obstinada resistência russa, impediu as forças alemãs de fechar as suas "pinças de aço", desgastando-as terrivelmente.
3)
"Rasputitsa" é o nome que os russos dão ao período de chuvas após o verão, em que o solo fica completamente enlameado e que dura até que o frio do inverno chegue para endurecer, novamente, o chão com grossas camadas de gelo.
4) Em 1985, a cidade de Smolensk recebeu o título de Cidade Heróica.

5)
Comunicado n.º 270 (16 de agosto de 1941) de Josef Stalin.

"Este comunicado repreende os que se renderam ao inimigo e afirmo que esses soldados e comandantes eram traidores e inimigos de seu próprio povo. Não temos prisioneiros de guerra, apenas traidores da pátria!" Stalin declarou, após rendição de mais de 300 mil soviéticos aos alemães em Smolensk.




                                         Beligerantes
União Soviética                                                   Alemanha Nazista


                                         Comandantes
Semjon                                                                     Heinz Guderian
Konstantinowitsch                                                      Hermann Hoth
Timoschenko                                                             Fedor von Bock

                                              Forças

581.600 soldados                                                    430.000 soldados
(excluindo reservas)                                                    1.000 tanques

                                             Baixas

300.000 homens mortos,                                   100/200 tanques perdidos
feridos, desaparecidos                                        Pequenas baixas na infantaria
ou capturados


SELO LIBERTAÇÃO DE
SMOLENSK - 1943.


MAPA AÇÕES ALEMÃS PARA CERCO DE SMOLENSK - 1941.


TANQUES E INFANTARIA BLINDADA EM SMOLENSK.


ME 109 BF DOMINAM O CÉU DE SMOLENSK.


PANZER III EM SMOLENSK.


COLUNA BLINDADA, PANZER I A DIREITA.


DIVISÃO MOTORIZADA COM PANZER III.


FILHO MAIS VELHO DE STALIN, YAKOV DZHUGASHVILI, CAPTURADO PELOS NAZISTAS.


YAKOV DZHUGASHVILI, FILHO MAIS VELHO DE STALIN,
CAPTURADO EM SMOLENSK.


PROPAGANDA ALEMÃ APÓS CAPTURA FILHO DE STALIN EM 1941: "NÃO DERRAME SEU SANGUE
POR STALIN! ELE FUGIU PARA SAMARA! SEU PRÓPRIO FILHO SE RENDEU! SE O FILHO DE STALIN
SE SALVOU, ENTÃO VOCÊ, TAMBÉM, NÃO SE OBRIGUE A SE SACRIFICAR!"


NÃO TEM COMO ESCAPAR DO CERCO DE SMOLENSK. RENDIÇÃO DE SOLDADOS RUSSOS.


MILHARES DE SOLDADOS RUSSOS FORAM FEITOS PRISIONEIROS EM SMOLENSK.


CEMITÉRIO MILITAR ALEMÃO PERTO DO MURO DO KREMLIN EM SMOLENSK.


BLINDADOS SOVIÉTICOS PARA A BATALHA DE SMOLENSK.


LANÇADORES KATYUSHA EM AÇÃO EM SMOLENSK.


SMOLENSK APÓS A BATALHA, 93% DA CIDADE ESTAVA DESTRUÍDA.


JOSEF STALIN, COMANDANTE SUPREMO DOS
EXÉRCITOS SOVIÉTICOS.


RUDNYA, MONUMENTO AOS LANÇADORES DE KATYHUSHA.


TANQUES RUSSOS EM AÇÃO EM SMOLENSK = BT-7.


TANQUE KV-1.


TANQUE KV-2.


TANQUE T-34.


TANQUES ALEMÃES EM AÇÃO EM SMOLENSK = PANZER I.


PANZER II.


PANZER III.
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 61
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum