BRASIL - O POETA DOS ESCRAVOS: CENTENÁRIO DE ANTONIO DE CASTRO ALVES - 1947!!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

BRASIL - O POETA DOS ESCRAVOS: CENTENÁRIO DE ANTONIO DE CASTRO ALVES - 1947!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Dom Set 11 2016, 03:51

Compartilho com os colegas, envelope circulado Rio de Janeiro - Florianópolis, carimbo Primeiro Dia de Circulação Agência Filatélica - RJ - 14/03/1947 sobre selo RHM nº C - 227, carimbo redondo comemorativo ao "Centenário de Nascimento de Castro Alves *1847-14 de março-1947* Agência Filatélica-D.F.", verso carimbo de chegada Florianópolis - 16/03/1947.
Folhinha 1º Dia do Selo Comemorativo Do Centenário Natalício do "Apostolo Andante do Condoreirismo Antonio de Castro Alves", carimbo Agência Filatélica - Rio de Janeiro - D.F. - 14/03/1947, sobre selo catálogo RHM nº C - 227.

                                                           O POETA DOS ESCRAVOS.

Seu nome de batismo era Antônio Frederico de Castro Alves, e nasceu no dia 14 de março de 1847 em Salvador. Seu nascimento aconteceu na fazenda das Cabaceiras, aproximadamente 42 km da vila de Nossa Senhora da Conceição de Curralinho, cidade que atualmente é chamada de Castro Alves no estado da Bahia. Filho de Antônio José Alves e Clélia Brasília Castro, estudou em casa com seu pai, que lhe expôs a uma atmosfera literária, repleta de música, saraus, poesia, declamação de versos e outros. Com apenas 17 anos começou a produzir suas primeiras poesias. Foi morar em Recife após o segundo casamento de seu pai no ano de 1862, pois ele tinha medo que seus filhos fossem acometidos pelo Mal do Século. No ano seguinte tentou entrar na Faculdade de Direito do Recife, mas não obteve sucesso. Nessa cidade, no entanto, conquistou espaço na literatura, sendo um poeta sempre requisitado nas sessões públicas de Faculdade e em outros eventos como plateias de teatros.                                        
O poeta teve seu trabalho marcado pela temática do combate à escravidão, o que lhe deu o título de "Poeta dos Escravos". Seu primeiro trabalho foi publicado no dia 17 de maio de 1863, no primeiro número de “A Primavera”. Seu poema foi chamado “A canção do africano”. O escritor padece de tuberculose no mesmo ano e, no subsequente, acontecem dois fatos marcantes em sua vida: seu irmão comete  suicídio e ele consegue, enfim, entrar na Faculdade de Direito do Recife. Regressa à Bahia e somente no ano de 1865 volta para o Recife. Nesse ano, no dia 10 de agosto, recitou “O Sábio” na Faculdade de Direito e se uniu a uma moça desconhecida, chamada Idalina. Alistou-se em 19 de agosto no Batalhão Acadêmico de Voluntários para a Guerra do Paraguai. Seu pai vem a falecer no dia 23 de janeiro de 1866. Fundou, no segundo ano de faculdade, junto a Rui Barbosa e mais amigos, uma sociedade abolicionista. Sua fase de mais intensa produtividade na literatura se deu a partir desse momento, inspirado por suas grandes causas: a abolição da escravatura e a República com ideais liberais. Ainda em 1866, Castro Alves viveu um intenso romance com a atriz portuguesa Eugênia Câmara, 10 anos mais velha que ele, com quem, no ano seguinte, viaja para a Bahia, onde Eugênia encena um drama escrito por ele, conhecido como “O Gonzaga ou a Revolução de Minas”. Em seguida, no Rio de Janeiro, ele conhece Machado de Assis e se muda para São Paulo, onde inicia o terceiro ano da faculdade. Dois anos depois, rompe seu relacionamento com Eugênia e, em férias, fere seu pé esquerdo em uma caçada com um tiro de espingarda, que acabou resultando em sua amputação. Em 1870 ele retorna a Salvador e publica “Espumas Flutuantes”. Castro Alves faleceu um ano depois, no dia 06 de julho de 1871, vítima da tuberculose em Salvador.

                                                                  Poesias mais conhecidas:

> A Canção do Africano.
> A Cachoeira de Paulo Afonso.
> Amemos! Dama Negra.
> Espumas Flutuantes.
> O Adeus de Teresa.
> O Navio Negreiro.
> Os Anjos da Meia Noite.
> Vozes da África.


ENVELOPE CIRCULADO HOMENAGEM AO CENTENÁRIO NASCIMENTO DE CASTRO ALVES - 14/03/1947.


          FOLHINHA 1º DIA DO SELO COMEMORATIVO - 14/03/1947.


                       RETRATO DE ANTONIO FREDERICO DE CASTRO ALVES.


            FOTOGRAFIA DE EUGÊNIA CÂMARA, ATRIZ PORTUGUESA.


ANÚNCIO APRESENTAÇÃO EUGÊNIA CÂMARA.


 PINTURA DE JOHANN MORITZ RUGENDAS - "NEGROS NO PORÃO DE UM NAVIO NEGREIRO".
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 61
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: BRASIL - O POETA DOS ESCRAVOS: CENTENÁRIO DE ANTONIO DE CASTRO ALVES - 1947!!

Mensagem por Psique10 em Dom Set 11 2016, 04:04

Obrigado por compartilhar. Ele realmente foi um grande poeta.
avatar
Psique10

Idade : 50
Localização : Ribeirão Claro - Paraná
Data de inscrição : 21/02/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum