Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Selonarth em Dom Ago 14 2016, 08:30

Bom dia aos Colegas e FELIZ DIA DOS PAIS!!!!

Muito bom Romeu, menos um equívoco em nossos conhecimentos.

Só não entendo porque alguns comerciantes de materiais (re)conhecidos falam dessas duas vertentes. A não ser que pelo tipo de material que emite a onda de luz, e, nesse caso:

Lâmpada Fluorescente - Fluorescência
Lâmpada não fluorescente - Fosforescência

Grande abraço a todos e iqe possam nesse dia exaltar ao PAI maior, DEUS!

Selonarth

Idade : 44
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 22/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por carla-mg em Seg Out 17 2016, 19:01

Boa noite! Sou nova aqui, fico lendo os forums para aprender melhor sobre tudo, não sei como criar um tópico de forum e me desculpe utilizar este aqui para tirar uma dúvida se puderem.

O que são vincos nos selos? Como identificar? vejo nos catálogos que possuo, 1975 / 2010 e 2016 e não consigo entender o que significa isso.

Agradeço se puderem me ajudar e novamente me desculpo pela pergunta que não faz parte do tópico.

Abs,

Carla

carla-mg

Localização : BH
Data de inscrição : 04/09/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Seg Out 17 2016, 21:23

Prezada,

vinco = sinal ou sulco que fica em algo que se dobrou.
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 61
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por RomeuNatale em Qua Out 19 2016, 08:33

Bom dia, Carla.

O que se vê nos "catálogos", na Série Netinha, sobre selos com "vincos", são na verdade um equívoco.

Os traços verdes impressos nos versos desses selos eram feitos pelo processo de tipografia. Eles identificavam os selos distribuidos por revendedores, tipo uma franquia da época. Porém alguns traços não foram impressos, provavelmente por falta de tinta nos tinteiros da impressora, e deixavam um pequeno relevo semelhantes a vincos. Como a impressão tipográfica (e outras) criam um relevo no papel por causa do clichê (veja em outros tópicos essa explicação detalhada), tem-se a impressão de que são vincos, parecidos com dobras, mas não são dobras. As dobras naturais feitas quando o papel entra na impressora fora do esquadro, é conhecido como pliê e normalmente entre as dobras não existe a impressão, criando assim uma falha no desenho.

Essas são as diferenças entre dobras (pliê) e vincos (relevo natural da impressora).
avatar
RomeuNatale

Idade : 60
Localização : Itaguaí/RJ
Data de inscrição : 08/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Selonarth em Dom Ago 27 2017, 23:52

Boa noite colegas Filatelistas!!!

Permitam-me ressuscitar o tópico depois de algum tempo.....

Passaram-se quase um ano e apesar de na época não precisar de óculos, hoje somente consigo fazer algo com eles......

Relendo todo o assunto sobre fosforescência, pude relembrar a época o que o Romeu Natale havia comentado sobre tipos de papéis que influenciavam na fosforescência.

Ontem, sem ter muito o que fazer nas madrugadas, peguei algumas imagens de selos que coloquei sob a luz U.V e que trago a seguir:

RHM 547 (Barras com pigmentos de Fosforescente)







As imagens não são as melhores possíveis, mais dá para se ter uma noção dos tipos de papéis quando expostos a luz U.V de 29w. Essa Lâmpada é aquela que se compra no mercado e é colocada nos bocais.

TODOS os papéis são do tipo brilhantes, e essa informação é vital para evitar confusões e outro aspectos duvidosos que queremos descartar.

Ambas imagens (frente e verso), de papel mais claro, possuem uma fosforescência que eu classificaria quanto ao aspecto azul, citando o colega Romeu Natale, pelo menos no que tange a fosforescência da FOLHA. Já em relação as "barras fosforescentes", continuam sendo amarelas bem clarinhas e que não podem ser muito perceptíveis na foto.

Sobre o papel, e aí á é um achismo, creio que o de folha mais escura possui uma gramatura maior. Infelizmente não possuo o equipamento necessário para as devidas medições.

Outras imagens para ajudar a corroborar o assunto:






Para não ficar pesado demais, continuo o assunto em uma outra oportunidade, pois já esta tarde e preciso levantar cedo.

Que todos tenham uma semana maravilhosa e abençoada sob os braços Poderosos do Altíssimo!!!!

Selonarth

Idade : 44
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 22/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Selonarth em Seg Ago 28 2017, 21:31

Boa noite!!!

prosseguindo com algumas imagens que separei para os colegas apreciarem, achei em meu acervo Cifras de 20 cts sob fosforescência diferentes tons.
Todos os selos possuem barras fosforescentes.
Claro que a imagem aqui mostrada não reflete a forma como enxergo aqui diretamente.
As características são as mesmas que verifiquei no tópico anterior.
Tirei diversas fotos com níveis de luz diferentes da câmera apenas para mostrar a diferença em diversos ângulos.
.....







Apenas uma pequena observação é para o selo de cor mais escura formado por uma trinca, está um pouco amarelado do tempo. No entanto, não foge as características encontradas na folha.

Todos possuem goma......

Selonarth

Idade : 44
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 22/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por RomeuNatale em Qua Ago 30 2017, 20:46

Boa noite, Selonarth.

É bastante complicado o estudo de fluorescências (não existem selos fosforescentes, isso é um erro que foi divulgado até às outras galáxias). Dependem do papel, da goma, do tipo de impressão, do tipo de impressão da própria fluorescência, das tintas usadas e por aí afora.

É tão complicado quanto o estudo de cores. Por isso escolhi os dois, pois adoro desafios complicados.

Escrevi dois artigos para a revista da SPP sobre o assunto, mas ainda terá duas continuações e estou apenas arranhando o tema. (A sua MSG no privado eu respondo por lá.)

Com relação ao tipo e potência da lâmpada, não tem nada a ver. O tipo de lâmpada (faixa de alcance de onda do espectro) não tem praticamente nada a ver com relação a fluorescência usada nos selos. Tem a ver em biologia, geografia, geologia, mas não em impressões gráficas. Isso é apenas apelo comercial. É evidente que quanto maior a potência da lâmpada, melhor será a sua visualização. Eu fabriquei um refletor pequeno, com doze leds bem potentes (3 W) e não têm a mesma visualização das lâmpadas fluorescentes de UV. Aquelas "Lanternas" que vendem por aí jamais irão mostrar a fluorescência real dos selos, é só um quebra galho.

Eu não estou podendo me dedicar muito ultimamente por problemas pessoais. Mas assim que der, volto ao assunto e posto o que descobri até o momento.
avatar
RomeuNatale

Idade : 60
Localização : Itaguaí/RJ
Data de inscrição : 08/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Selonarth em Qua Ago 30 2017, 21:25

Olá Romeu!!!

Sempre bom poder ouvir sobre seus estudos aprofundados. Gosto também de desafios, mais minha limitação não permite ir tão longe quanto eu gostaria nesse momento.

Penso em até RECLASSIFICAR parte do material que possuo com base no tipo de papel, fluorescência, tonalidades, além daquelas já anteriormente catalogadas pelo RHM.

Espero que os problemas sejam logo resolvidos, mais não por uma questão de interesse sobre o assunto que me desperta, e sim, para que possa ter de volta aquilo que lhe tem roubado seu tempo.

A propósito, li seu BLOG e está muito show com as informações postadas até o momento. Gostaria muito de poder ajudar e contribuir, mais não creio que tenha dados suficientes para este momento.

Muito obrigado e inclusive meu MUITO OBRIGADO bem atrasado pelo material que me enviou meses atrás ok?!?!

Selonarth

Idade : 44
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 22/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por RomeuNatale em Dom Set 10 2017, 08:37

Bom dia a todos, bom dia Selonarth.

Os artigos do blog são um esforço de vários colegas, a maioria aqui do fórum, numa empreitada coletiva. As contribuições de todos são espetaculares.

Vou tentar nessa semana reproduzir os artigos que sairam no Boletim da SPP (já tenho autorização para publicar) e você poderá ter mais algumas idéias sobre fluorescência.

Abraços,

Natale
avatar
RomeuNatale

Idade : 60
Localização : Itaguaí/RJ
Data de inscrição : 08/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por RomeuNatale em Dom Set 10 2017, 19:55

A FLUORESCÊNCIA NOS SELOS BRASILEIROS
SELOS ORDINÁRIOS DE 1972 A 1993

Parte I

Até o ano de 1969 os selos brasileiros utilizavam papéis com filigrana. No caso dos ordinários em 1972 foi lançado o selo que tinha o logotipo da ECT, Empresa de Correios e Telégrafos, de Cr$ 0,20, o primeiro com uma nova forma de segurança, a fluorescência, erroneamente chamada de fosforescência. No mesmo ano ainda foram utilizados papéis com filigrana, como é o caso dos selos tipo Cifra de 1972, nos valores de Cr$ 0,05 e Cr$ 0,10. Essa mesma série foi relançada no mesmo ano, incluindo novos valores e em 1974 e 1975 com tinta de segurança fluorescente aplicada de duas formas: sobre todo o selo e parcialmente com barras verticais centrais (fig. 1).


Figura 1

Como esse sistema de segurança é apenas uma aplicação de tinta sobre o papel já impresso, sofreu os mesmos problemas de qualquer outro tipo de impressão. Fluorescência deslocada, aplicada no verso, de cores diferentes, são algumas variações nesse sistema. O aspecto das fluorescências variam bastante, inclusive de falhas que deixaram todos os selos de uma mesma folha sem essa segurança, atingindo por isso altos preços.

O sistema de impressão de segurança - Fluorescência

A primeira coisa a saber sobre as tintas fluorescentes é que ela reage (emite luz) sob luz ultravioleta enquanto ela estiver sob essa luz, ao contrário da fosforescência que reage e acumula por um tempo a energia que absorve no escuro, grosso modo.

O sistema de impressão de segurança consiste em uma camada de impressão especial teoricamente a prova de falsificação. Existem ao menos três tipos de segurança, mas vamos falar sobre o sistema de fluorescências em que uma camada de tinta que é invisível a olho nu, mas que reage a luz ultravioleta é aplicada sobre os selos. Essa tinta é especialmente fabricada para a Casa da Moeda e existe toda uma segurança em torno do seu uso, por motivos óbvios.

Essa tinta especial é formada por um verniz como base e partículas de pigmentos que reagem a luz ultravioleta. Ao reagir, essa tinta emite uma coloração muito variável, foram encontradas três cores: branca, amarela e azul. O tipo de papel também influencia na cor obtida. Nos papéis escuros o brilho é mais intenso e nos papéis mais claros o brilho é mais suave, as vezes ficando quase imperceptível (fig. 2).


Figura 2

São três os tipos de impressões com essa tinta, nos selos brasileiros: barra fluorescente, moldura fluorescente e fluorescência total (fig. 3). As barras são mostradas acima (fig. 1 e 2).


Figura 3

Falhas e erros em fluorescência

As falhas acontecem de diversas formas. Além das falhas temos os erros de impressão, como por exemplo a impressão no verso do selo ou impressão de moldura sobre fluorescência total. Uma coisa deve-se notar, pelo menos nos selos do período aqui abrangidos, não existia papel fluorescente, ou seja, a fluorescência aplicada diretamente na massa do papel. Se assim fosse teríamos selos fluorescentes tanto na frente quanto no verso, o que não existe.

As falhas e erros podem ser catalogadas de várias formas e métodos. Nos selos com barra ou moldura temos deslocamentos variados, para cima, para um lado, etc. Mas antes de entrar nesse assunto que faz parte do tema, vamos conhecer os desenhos esquemáticos da impressão de barras e molduras. Estou assumindo que todas as fluorescências foram impressas em offset e não rotogravura. Futuramente eu retorno a esse ponto e explico a minha teoria sobre o sistema usado para imprimir as fluorescências.

Esquemas das chapas de impressão de barras

Os desenhos esquemáticos que apresento a seguir se resumem a uma folha, para facilitar o entendimento. Não quer dizer que foi impressa uma folha de cada vez, já que numa chapa inteira de offset cabem seis folhas. Então vamos pensar em uma única folha.

Os selos ordinários desse período eram em número de 110 em cada folha e o formato de cada selo era de 21x17 mm e 17x21 mm (verticais). No caso da série Cifra de 1972 só temos selos no formato 21x17 mm, portanto selos horizontais. Então uma folha com barra seria impressa segundo o esquema abaixo:

Esquema de impressão de barras em selos horizontais

Percebemos que em cima da folha com 11x10 selos (110 selos) haviam 11 longas barras que pegavam todos os selos e eram interrompidas no último picote horizontal superior e no último inferior e a sua largura era de 6 mm. A centralização das barras nos selos eram muito importantes para saírem simétricos e no esquadro. Resumidamente era assim que se imprimiram as barras nos selos dessa série.



Esquemas das variações na impressão de barras

As variações de barras não são tão comuns como as molduras nas séries seguintes. As barras não se deslocavam nem para cima e nem para baixo, apenas para a direita e a esquerda e também os casos mais acentuados não são tão comuns. Abaixo temos dois esquemas de deslocamentos acentuados à direita e à esquerda:


Esquema de impressão de barras deslocadas 5 mm à direita


Esquema de impressão de barras deslocadas 6 mm à esquerda

Existem deslocamentos com outras medidas, mas são bastante raros. Uma outra variação aconteceu com as barras fluorescentes, as falhas de impressão em alguns selos, o que possibilitou um acidente bastante interessante que é o de um selo ou dois com barras e um ou dois sem as barras, em alguns casos até mais. O esquema exemplo está logo abaixo.


Esquema de impressão de barras com falhas em alguns selos

Continua...

Artigo publicado originalmente no Boletim Informativo da Sociedade Philatélica Paulista, SPP, em dezembro de 2016.
avatar
RomeuNatale

Idade : 60
Localização : Itaguaí/RJ
Data de inscrição : 08/12/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Selonarth em Dom Set 10 2017, 22:38

Boa noite Romeu e amigos filatelistas!!!!

Li sua postagem e estou muito satisfeito com as informações.

Penso que ainda nessa época, o controle estava bem aquém do desejado e apesar dos tipos de papéis serem imperceptíveis quando observados diretamente sem uma luz U.V e/ou outros tipos de equipamentos, parecia comum a aquisição de material com qualidades dúbias.

Talvez o tipo de papel não fosse algo relevante, desde que, a marca de segurança estivesse presente no material.

Não entendo ainda muito bem como funcionava o sistema de aquisição do material (licitação ou outro), mais nos dias de hoje, não é e nem se pode ser aceito que as compras de materiais, fujam as características desejadas nos certames. Falo aqui das gramaturas....

Pequenos detalhes sem importância (talvez) para a Casa da Moeda, mais que no mundo da filatelia trazem a tona a busca por um entendimento e isso tudo para satisfazer a voracidade do conhecimento.

Ainda sim, me pergunto!!!

O que levou o editor e seus estudiosos a classificarem selos com base na sua fluorescência (amarela, amarela a branca, branca) nos selos da flora e não nos demais selos....

E sobre a gramatura do papel???

Porquê alguns foram catalogados pela sua gramatura e outros não?!?!

O que realmente é importante em uma classificação nos selos???

Mas bem, não quero fugir do assunto aqui tratado que é a fluorescência e espero mais uma nova abordagem sua colega Romeu Natale.

Tenham todos uma semana tremendamente abençoada!!!!!


Selonarth

Idade : 44
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 22/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Christian Bernardi em Seg Set 11 2017, 19:54

Romeu excelentes as informações! Muito bem explicadas...explicações essas que deveriam serem acrescentadas em catálogos!

Parabéns e obrigado por compartilhar o estudo!


RomeuNatale escreveu:
A FLUORESCÊNCIA NOS SELOS BRASILEIROS
SELOS ORDINÁRIOS DE 1972 A 1993

Parte I

Até o ano de 1969 os selos brasileiros utilizavam papéis com filigrana. No caso dos ordinários em 1972 foi lançado o selo que tinha o logotipo da ECT, Empresa de Correios e Telégrafos, de Cr$ 0,20, o primeiro com uma nova forma de segurança, a fluorescência, erroneamente chamada de fosforescência. No mesmo ano ainda foram utilizados papéis com filigrana, como é o caso dos selos tipo Cifra de 1972, nos valores de Cr$ 0,05 e Cr$ 0,10. Essa mesma série foi relançada no mesmo ano, incluindo novos valores e em 1974 e 1975 com tinta de segurança fluorescente aplicada de duas formas: sobre todo o selo e parcialmente com barras verticais centrais (fig. 1).


Figura 1

Como esse sistema de segurança é apenas uma aplicação de tinta sobre o papel já impresso, sofreu os mesmos problemas de qualquer outro tipo de impressão. Fluorescência deslocada, aplicada no verso, de cores diferentes, são algumas variações nesse sistema. O aspecto das fluorescências variam bastante, inclusive de falhas que deixaram todos os selos de uma mesma folha sem essa segurança, atingindo por isso altos preços.

O sistema de impressão de segurança - Fluorescência

A primeira coisa a saber sobre as tintas fluorescentes é que ela reage (emite luz) sob luz ultravioleta enquanto ela estiver sob essa luz, ao contrário da fosforescência que reage e acumula por um tempo a energia que absorve no escuro, grosso modo.

O sistema de impressão de segurança consiste em uma camada de impressão especial teoricamente a prova de falsificação. Existem ao menos três tipos de segurança, mas vamos falar sobre o sistema de fluorescências em que uma camada de tinta que é invisível a olho nu, mas que reage a luz ultravioleta é aplicada sobre os selos. Essa tinta é especialmente fabricada para a Casa da Moeda e existe toda uma segurança em torno do seu uso, por motivos óbvios.

Essa tinta especial é formada por um verniz como base e partículas de pigmentos que reagem a luz ultravioleta. Ao reagir, essa tinta emite uma coloração muito variável, foram encontradas três cores: branca, amarela e azul. O tipo de papel também influencia na cor obtida. Nos papéis escuros o brilho é mais intenso e nos papéis mais claros o brilho é mais suave, as vezes ficando quase imperceptível (fig. 2).


Figura 2

São três os tipos de impressões com essa tinta, nos selos brasileiros: barra fluorescente, moldura fluorescente e fluorescência total (fig. 3). As barras são mostradas acima (fig. 1 e 2).


Figura 3

Falhas e erros em fluorescência

As falhas acontecem de diversas formas. Além das falhas temos os erros de impressão, como por exemplo a impressão no verso do selo ou impressão de moldura sobre fluorescência total. Uma coisa deve-se notar, pelo menos nos selos do período aqui abrangidos, não existia papel fluorescente, ou seja, a fluorescência aplicada diretamente na massa do papel. Se assim fosse teríamos selos fluorescentes tanto na frente quanto no verso, o que não existe.

As falhas e erros podem ser catalogadas de várias formas e métodos. Nos selos com barra ou moldura temos deslocamentos variados, para cima, para um lado, etc. Mas antes de entrar nesse assunto que faz parte do tema, vamos conhecer os desenhos esquemáticos da impressão de barras e molduras. Estou assumindo que todas as fluorescências foram impressas em offset e não rotogravura. Futuramente eu retorno a esse ponto e explico a minha teoria sobre o sistema usado para imprimir as fluorescências.

Esquemas das chapas de impressão de barras

Os desenhos esquemáticos que apresento a seguir se resumem a uma folha, para facilitar o entendimento. Não quer dizer que foi impressa uma folha de cada vez, já que numa chapa inteira de offset cabem seis folhas. Então vamos pensar em uma única folha.

Os selos ordinários desse período eram em número de 110 em cada folha e o formato de cada selo era de 21x17 mm e 17x21 mm (verticais). No caso da série Cifra de 1972 só temos selos no formato 21x17 mm, portanto selos horizontais. Então uma folha com barra seria impressa segundo o esquema abaixo:

Esquema de impressão de barras em selos horizontais

Percebemos que em cima da folha com 11x10 selos (110 selos) haviam 11 longas barras que pegavam todos os selos e eram interrompidas no último picote horizontal superior e no último inferior e a sua largura era de 6 mm. A centralização das barras nos selos eram muito importantes para saírem simétricos e no esquadro. Resumidamente era assim que se imprimiram as barras nos selos dessa série.



Esquemas das variações na impressão de barras

As variações de barras não são tão comuns como as molduras nas séries seguintes. As barras não se deslocavam nem para cima e nem para baixo, apenas para a direita e a esquerda e também os casos mais acentuados não são tão comuns. Abaixo temos dois esquemas de deslocamentos acentuados à direita e à esquerda:


Esquema de impressão de barras deslocadas 5 mm à direita


Esquema de impressão de barras deslocadas 6 mm à esquerda

Existem deslocamentos com outras medidas, mas são bastante raros. Uma outra variação aconteceu com as barras fluorescentes, as falhas de impressão em alguns selos, o que possibilitou um acidente bastante interessante que é o de um selo ou dois com barras e um ou dois sem as barras, em alguns casos até mais. O esquema exemplo está logo abaixo.


Esquema de impressão de barras com falhas em alguns selos

Continua...

Artigo publicado originalmente no Boletim Informativo da Sociedade Philatélica Paulista, SPP, em dezembro de 2016.
avatar
Christian Bernardi

Idade : 43
Localização : Pernambuco
Data de inscrição : 05/07/2014

http://filateliabernardi.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fosforescência Amarela, Branca e Gelo - Regulares 682/684/685

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum