Filatelia como negócio

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Filatelia como negócio

Mensagem por lmelo em Seg Mar 31 2014, 11:45

Pessoal

Tenho percebido que alguns sites filatélicos online estão cobrando valores abusivos, já vi selos recentes que estão nos correios sendo vendidos a 20 ou 30% do seu valor, o pior é que alguns negociantes vendem a preços acima do catálogo. Eu vejo que a curtíssimo prazo isso afastará novos colecionadores, e quando não há interessados nada permanece, vejo com preocupação isso.

Agora o preço quem dita somos nós, se comprarmos por um preço alto tudo vai subir, o que vejo é que iniciantes não tem muita noção dos preços, e sai comprando sem pesquisar. Sei que é um tema polêmico, mas devemos nos preparar para o pior.

abraços
avatar
lmelo

Idade : 45
Localização : Brasília
Data de inscrição : 06/03/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Filatelia como negócio

Mensagem por odilo em Seg Mar 31 2014, 14:27

Olá amigos e amigas,
Sua preocupação faz sentido. Sem novos adeptos as vendas vão cair e como vai sobrar material, quem sabe os preços baixam.
Um coisa é certa, quem é esclarecido um pouco sobre a arte de colecionar selos, logo fica sabendo que exitem catálogos com preços dos selos. A partir dai, concordo que somos nós quem de certa forma dita os preços. Dai que sempre depende da pessoa querer pagar ou não pelo valor que lhe oferecem.
avatar
odilo

Idade : 75
Localização : Florianópolis
Data de inscrição : 20/02/2008

https://sites.google.com/site/procurandoselo/home

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Filatelia como negócio

Mensagem por JOSE RENATO em Seg Mar 31 2014, 17:49

Laerte e Odilo,

Já discutimos esse assunto em outros tópicos e me parece que existe uma miopia geral sobre a comércio filatélico no Brasil.

Como é de conhecimento de todos, e nosso Fórum é um bom exemplo disso, existe pouca renovação de filatelistas. Nos últimos 40 anos, morreu muitos filatelistas e não tivemos a competência / capacidade de incutir esse hobbie em nossos filhos / sobrinhos / netos, etc; de forma geral.

E pior que isso, mesmo sabendo dessa tendência, os comerciantes filatélicos não fazem absolutamente nada para ajudar a perpetuar essa mania. 

Eles estão matando a galinha dos ovos de ouro ao não dar prosseguimento neste tipo de colecionismo. Mas, a quase totalidade dos comerciantes filatélicos brasileiros, é míope para isso.

Quando não houver, assim, tantos colecionadores, eles vão vender selos para quem?

Um abraço,

_________________
José Renato
Ouro Preto - MG

Coleciono: BRAZIL IMPÉRIO 
avatar
JOSE RENATO

Idade : 60
Localização : Ouro Preto - MG
Data de inscrição : 31/05/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Filatelia como negócio

Mensagem por Convidado em Seg Mar 31 2014, 21:28

Dando prosseguimento ao assunto,quero usar os últimos acontecimentos da filatelia brasileira para ilustrar o assunto. A coleção do amigo Paulo Comelli, falecido em maio de 2011 surgiu em leilão para o dia 16 de março de 2012 na cidade de Lugano na Suíça. Juntamente com sua coleção, a mais premiada do Brasil, estava também a coleção do amigo Walter Taveira, igualmente com peças de Olho de Boi e Numerais do Império.
O trato da equipe da Investphila foi direto com a família do Comelli em Belo Horizonte onde eles estiveram para fazer a captação e assinar o contrato. Quando tive acesso ao catálogo fiquei um pouco apreensivo e triste com os preços listados como base para os lotes ofertados. Várias das peças da coleção do Comelli foram compradas na minha presença e algumas poucas vendidas por quando ainda ele fazia a coleção de Dom Pedro II. ABNC.
Peças compradas a cerca de 20 anos atrás agora de volta a leilão e com alguns preços abaixo do pago na época em dólares, mas tudo bem, era apenas a oferta inicial.
O lote 1152, a carta mais antiga do Brasil com marca postal teve inicial de US$ 1.500,00 e foi vendida por US$ 6.000,00. Esta peça foi adquirida em 1997 na Inglaterra por US$ 2.500,00.
O lote 1154, a carta com Port. British teve inicial de US$ 1.500,00 e foi vendido por US$ 17.000,00. Paulo comprou esta peça em 1999 num leilão em Londres onde estávamos presentes e pagou 7.500 Libras Esterlinas.
O lote 1177, a carta de com Olho de Boi e Inclinados destinada ao exterior, teve base de US$ 20.000,00 e alcançou US$ 34.000,00. Esta carta foi vendida em 1996 por US$ 10.000,00.
O lote 1197, carta com Dom Pedro e 20rs Olhos de Cabra, teve base em US$ 400,00 e alcançou US$ 3.400,00. Esta carta foi adquirida no Brasil ao custo de US$ 500,00 por volta do ano de 1988.

As peças de Olho de Boi do amigo Taveira também tiveram algumas surpresas agradáveis.
Podemos ver, desta forma, que a filatelia brasileira esta em alta e com os preços bem firmes. A possibilidade de que a venda fosse dar resultados abaixo dos valores estimados foi por água abaixo quando os resultados foram saindo. Muitos filatelistas, brasileiros e estrangeiros estavam no salão que também recebeu lances em trato secreto por telefone e prévio. Comerciantes também disputaram as peças que alcançaram preços importantes confirmando a filatelia brasileira como uma das mais fortes do mundo.

Em meu escritório de filatelia tenho recebido colecionadores de médio porte interessados em alavancar a coleção com peças de exceção como estas vistas no leilão de Lugano. Esta experiência serve de exemplo para os amigos que desejam colecionar e investir de uma forma segura e altamente qualificada. Esperamos que mais e mais pessoas possam se interessar pelo investimento na filatelia brasileira.


FONTE :  http://philatelia-bh.blogspot.com.br/2012/03/filatelia-um-investimento-serio-2.html

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Filatelia como negócio

Mensagem por odilo em Seg Mar 31 2014, 22:25

Olá amigos e amigas,
Vejam que sempre fazemos uma pequena separação entre colecionar por prazer e colecionar com o objetivo de fazer um investimento.
Para mim, uma peça acima de R$ 500,00 já considero como um investimento. Agora uma coleção por R$ 500,00 não considero como um investimento.
Mas se o dinheiro não faz muita falta, então não vejo problema da pessoa juntar os dois, prazer e investimento.
Eu penso como vocês, quem tem uma loja, venda o que vender, se quiser se seja uma fonte de renda para a família por longos anos, tem que investir nos clientes e nos sucessores. São eles que vão manter o negócio em pé. Mas é lógico, tem que ser bem gerenciado se não quebra. Os exemplos não faltam ...
avatar
odilo

Idade : 75
Localização : Florianópolis
Data de inscrição : 20/02/2008

https://sites.google.com/site/procurandoselo/home

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Filatelia como negócio

Mensagem por ronaldo marcio em Seg Mar 31 2014, 23:40

Filatelia como negócio e eu já penso naquelas cartelinhas que se vendiam em bancas de revista, lá pelos anos 70 e 80. Eram séries temáticas quase sempre sobre fauna e flora, invariavelmente de países distantes. Isso me colocava a pensar - afinal esses são ou não selos de verdade e porque são vendidos assim, no comércio?
Então, ou era tudo criação fictícia de alguma empresa faturando na pseudo-filatelia ou era a INDÚSTRIA mesma da filatelia faturando de uma maneira, digamos, original.
Se o negócio era sério, então parecia ser mesmo uma boa maneira de ganhar dinheiro vendendo selos no atacado!
avatar
ronaldo marcio

Idade : 55
Localização : curitiba
Data de inscrição : 11/07/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Filatelia como negócio

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum