INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL: 7ª DIVISÃO BLINDADA BRITÂNICA: "OS RATOS DO DESERTO" - 1939!!!

Ir em baixo

INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL: 7ª DIVISÃO BLINDADA BRITÂNICA: "OS RATOS DO DESERTO" - 1939!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Ter Nov 20 2018, 09:05

Compartilho com os colegas, "7ª Divisão Blindada Britânica, Os Ratos do Deserto."


                                                    7ª DIVISÃO BLINDADA BRITÂNICA
                                                           "OS RATOS DO DESERTO."

Inicialmente comandada pelo Major-General Percy Hobart, um especialista em guerra de blindados, eles foram mobilizados no Egito em 1938. Hobart providenciou para que suas tropas estivessem devidamente preparadas para lutar no deserto, apesar de seu equipamento precário. Hobart foi substituído em 1939 e é neste momento que a 7ª Divisão Blindada recebeu seu apelido - "The Desert Rats/Os Ratos do Deserto" - de um esboço que a nova esposa do comandante da divisão desenhou, após uma viagem ao zoológico do Cairo em 1940. Depois que os italianos declararam guerra, os Ratos do Deserto foram enviados como parte da Força do Deserto Ocidental para combatê-los. A Itália nessa época não possuía tanques com capacidade reais de blindagem, tendo como única blindagem a presente projetada nos anos pré-guerra com metodologia que remonta à Primeira Guerra Mundial. Os Ratos do Deserto também estavam em tanques desatualizados, mas tinham anos de experiência no deserto e a determinação do lado deles. Durante a Operação Compasso/Compass Operation (8 de dezembro de 1940 a 9 de fevereiro de 1941), os italianos foram inicialmente dominados pelas forças britânicas, que no total capturaram mais de 130 mil soldados durante as batalhas de iniciais. Quando os italianos se retiraram, a ordem foi dada no dia 7 de fevereiro de 1940 para viajar para o sul e oeste para cortar as forças italianas em Beda Fomm. Os tanques provaram ser muito lentos no terreno acidentado, longe da estrada costeira, de modo que uma força de veículos com rodas correu adiante, alcançando a cidade. Chegando à estrada costeira, eles fizeram uma emboscada, e os Ratos do Deserto mantiveram o exército italiano estagnado no local até que a 6ª Divisão de Infantaria Australiana, seguindo os italianos ao longo da estrada costeira, os alcançou e finalmente destruiram o 10º Exército Italiano. Logo após essa grande derrota, Adolf Hitler enviou seus Afrikakorps, sob o comando de Erwin Rommel (mais tarde conhecido como a "Raposa do Deserto"), para enfrentar os britânicos na Operação Sonnenblume. As tropas aliadas, estendidas por centenas de quilômetros de terreno inóspito, viram-se cortadas por essa nova força e se retiraram para a cidade fortificada de Tobruk. A reviravolta nas batalhas pelo deserto começou. A 7ª Divisão Blindada foi retirada para o Egito e recebeu novos tanques com alta blindagem e levou a luta às forças do Eixo durante a Operação Battleaxe, uma tentativa de expulsar o Eixo do Norte da África e aliviar o cerco de Tobruk. O plano de batalha falhou e a 7ª Divisão Blindada foi forçada a recuar, após o terceiro dia de combate. Com a Força do Deserto Ocidental sob novo comando e rebatizada de 8º Exército, a Operação Cruzada foi colocada em pratica para finalmente aliviar o cerco de Tobruk. Os Ratos do Deserto enfrentariam agora a 21ª Divisão Panzer. Os Ratos do Deserto avançaram, capturando o aeródromo em Sidi Rezegh. Seu comandante, errou na sua avaliação e cuatela, devido ter apenas 100 tanques à sua disposição. Rommel, apesar da falta de munição e combustível, enviou seus Panzers. No começo da tarde de 22 de novembro, Rommel atacou o aeródromo de Sidi Rezegh. A luta era desesperada: por suas ações durante os dois dias de luta, o Brigadeiro Jock Campbell (comandante do 7º Grupo de Apoio) foi condecorado com a Cruz de Vitória/Victory Cross. No entanto, a 21ª Divisão Panzer, apesar de ser consideravelmente mais fraca em número de blindados, mostrou-se superior em suas táticas de armas combinadas, tanques e artilharia anti-tanque, empurrando a 7ª Divisão Blindada de volta. Embora possa ter provado um sucesso limitado, a Operação Crusader mostrou que o Afrikakorps de Rommel pode ser derrotado e pode ser visto como uma boa ilustração da luta dinâmica de ida e volta que caracterizou a Campanha no Norte da África. Com o 8º Exército recebendo um novo comandante, tenente-general Bernard Montgomery, os Ratos do Deserto mais tarde participariam da maioria das grandes batalhas na campanha do Norte da África, incluindo as batalhas de El Alamein e, equipados com o tanque americano Sherman e experiências amargamente conquistadas, ocasionando a destruição final das forças do Eixo na Tunísia. Na Europa, eles continuariam a lutar contra os exércitos italianos. Os Ratos do Deserto desembarcaram em Salerno, em 15 de setembro de 1943 para ajudar a repelir os pesados ​​contra-ataques alemães durante a Operação Avalanche. Os Ratos do Deserto libertaram Nápoles juntamente com a 46ª Divisão de Infantaria. Ajustando-se na luta pelo terreno acidentado do deserto até as estradas italianas confinadas, eles cruzaram o rio Volturno, no sul da Itália, construindo uma ponte flutuante e abrindo caminho para as muitas divisões aliadas rumo ao norte. Retirada da Itália para a Inglaterra em novembro de 1943, a Divisão foi reequipada com os novos tanques Cromwell (a 7ª Divisão Blindada era a única divisão britânica a usar o Cromwell como seu principal tanque de batalha) e recebeu 36 Sherman M4A4 VC Firefly. Isso equivale a um FireFly por três Cromwells em um pelotão, dando-lhes uma chance muito maior de lidar com os grandes tanques blindados alemães. A 7ª Divisão Blindada desembarcou no dia 6 de junho de 1944 para então participar da Operação Goodwood (a batalha em torno de Caen) e mais tarde passou a lutar na Batalha de Villers Bocage. Durante esta batalha, a 7ª Divisão Blindada estariam em ação pesada contra a Divisão Panzer Lehr e o Batalhão Panzer SS 101, sob o comando do SS-Obersturmführer Michael Wittmann, um dos melhores comandantes de Panzer alemão. Reorganizada e rearmada, a 7ª Divisão Blindada continuou em Paris, avançando pela Bélgica e depois pela Holanda. A 7ª Divisão Blindada preparava-se agora para cruzar o rio Reno para chegar até o coração da Alemanha Reich, como parte da Operação Pilhagem, realizada em março de 1945, com o objetivo final de capturar Hamburgo. Nas semanas que se seguiram, atravessou a Alemanha através da floresta Teutoberger até o rio Weser, onde ocorreram ferozes batalhas com as forças fanáticas da SS e da Hitler Jugend. Depois de ferozes combates nos subúrbios de Hamburgo, a 7ª Divisão Blindada aceitou a rendição da cidade em 3 de maio de 1945. A 7ª Divisão Blindada lutava há cinco anos. Combatera a adversidade e o sucesso, desde o calor escaldante do deserto ocidental, passando pela lama enjoativa da Itália, pelos campos de matança da Normandia, até a Bélgica e a Holanda. Então lutou pela Alemanha nas batalhas mais sangrentas da guerra como o caso de Hamburgo. Seus homens provaram serem dignos do animal resistente do deserto, o "Rato", em seus ombros e veículos e, finalmente, foram recompensados ​​por desfilar em Berlim em triunfo!

FDC EM HOMENAGEM AOS RATOS DO DESERTO.


FDC HOMENAGEANDO OS RATOS DO DESERTO.


EMBLEMA 7ª DIVISÃO BLINDADA - OS RATOS DO DESERTO.


TANQUE LEVE MK VIC.


TANQUE CRUSADER MK I.


TANQUE A-12 MATILDA II.


TANQUE MK VIII CROMWELL.


PANZER III DESTRUÍDOS NO DESERTO.


OS RATOS DO DESERTO NA EUROPA.


TANQUE M4A4 VC FIREFLY.


TANQUE M4A4 VC FIREFLY EM HAMBURGO - 4/05/1945.


MEMORIAL A 7ª DIVISÃO BLINDADA "OS RATOS DO DESERTO", TANQUE MK IV CROMWELL.


PLACA EM HOMENAGEM  A 7ª DIVISÃO BLINDADA "OS RATOS DO DESERTO".


LIVRO: "RATOS DO DESERTO - DA NORMANDIA ATÉ BERLIM".

avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum