INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL:OPERAÇÃO COMPASSO: DESTRUIÇÃO DO 10º EXÉRCITO ITALIANO - 1940/1941!!!

Ir em baixo

INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL:OPERAÇÃO COMPASSO: DESTRUIÇÃO DO 10º EXÉRCITO ITALIANO - 1940/1941!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Seg Nov 19 2018, 18:27

Compartilho com os colegas, "Operação Compasso 1940/1941".


                                                            OPERAÇÃO COMPASSO.
                                                           9/12/1940 – 9/02/1941.          

A Operação Compasso/Compass Operation foi a primeira grande operação militar aliada da Campanha do Deserto Ocidental (1940-1943), durante a Segunda Guerra Mundial.
Após a declaração de guerra da Itália contra a Grã-Bretanha e a França, em 10 de junho de 1940, as forças italianas na Líbia começaram a invadir a fronteira do Egito controlado pelos britânicos. Esses ataques foram encorajados por Benito Mussolini, que desejou que o governador-geral da Líbia, o marechal Ítalo Balbo, lançasse uma ofensiva em grande escala com o objetivo de capturar o Canal de Suez. Após a morte acidental de Balbo em 28 de junho, Mussolini o substituiu pelo general Rodolfo Graziani e deu-lhe instruções semelhantes. À disposição de Graziani estavam o 10º e o 5º Exércitos, que consistiam em cerca de 150 mil homens. Opondo-se aos italianos estava 36 mil homens da Força do Deserto Ocidental do Major General Richard O'Connor. Apesar de estarem em desvantagem numérica, às tropas britânicas eram altamente mecanizadas e móveis, além de possuírem tanques mais avançados que os italianos. Entre eles estava o pesado tanque de infantaria Matilda, que possuía blindagem que nenhum tanque italiano dispunha ou uma arma antitanque que poderia penetrá-la. Apenas uma unidade italiana foi amplamente mecanizada, o Grupo Maletti, que possuía caminhões e uma variedade de blindagens leves. Em 13 de setembro de 1940, Graziani cedeu à demanda de Mussolini e atacou o Egito com sete divisões, além do Grupo Maletti. Depois de recapturar o Forte Capuzzo, os italianos invadiram o Egito, avançando 60 milhas em três dias. Parando em Sidi Barrani, os italianos aguardaram a chegada de suprimentos e reforços. Isso demorou a chegar, pois a Marinha Real Britânica aumentara sua presença no Mediterrâneo e estava interceptando navios de suprimentos italianos. Para combater o avanço italiano, O'Connor planejou a Operação Compasso (Compass Operation), que foi projetada para expulsar os italianos do Egito e voltarem à Líbia até Benghazi. A partir de 9 de dezembro de 1940, unidades do exército britânico e indiano atacaram Sidi Barrani. Explorando uma lacuna nas defesas italianas descobertas pelo brigadeiro Eric Dorman Smith, as forças britânicas atacaram ao sul de Sidi Barrani e isto foi uma completa surpresa para os italianos. Apoiado por artilharia, aeronaves e blindados, o assalto invadiu as posições italianas em cinco horas e resultou na destruição do Grupo Maletti e na morte de seu comandante, o general Pietro Maletti. Nos três dias seguintes, os homens de O'Connor foram para o oeste destruindo 237 peças de artilharia italiana, 73 tanques e capturando 38.300 homens. Atravessando a passagem de Halfaya, as forças britânicas cruzaram a fronteira e capturaram o Forte Capuzzo. Desejando explorar a situação, O'Connor queria continuar atacando, no entanto, ele foi forçado a parar quando seu superior, General Archibald Wavell, retirou a 4ª Divisão Indiana da batalha para operações na África Oriental. Esta foi substituída em 18 de dezembro pela 6ª Divisão australiana, marcando a primeira vez que as tropas australianas presenciaram combate na Segunda Guerra Mundial. Retomando o avanço, os britânicos foram capazes de manter os italianos perplexos com a velocidade de seus ataques, o que levou unidades inteiras sendo cortadas e forçadas a se render. Empurrando os italianos para a Líbia, os australianos capturaram Bardia (5 de janeiro de 1941), Tobruk (22 de janeiro) e Derna (3 de fevereiro). Devido à sua incapacidade de parar a ofensiva de O'Connor, Graziani tomou a decisão de abandonar completamente a região da Cyrenaica e ordenou que o 10º Exército retrocedesse através de Beda Fomm. Prevendo isso, O'Connor criou um novo plano com o objetivo de destruir o 10º Exército. Com os australianos empurrando os italianos de volta ao longo da costa, ele destacou a 7ª Divisão Blindada do Major General Sir Michael Creagh com ordens de virar para o interior, cruzar o deserto e tomar Beda Fomm, antes da chegada dos italianos. Rumando via Mechili, Msus e Antelat, os tanques de Creagh se depararam com um terreno muito acidentado e difícil de atravessar. Atrasado no cronograma proposto, Creagh tomou a decisão de enviar uma "coluna ligeira" a frente para tomar Beda Fomm. Batizada com "Combe Force", por seu comandante, o tenente-coronel John Combe, era composta por cerca de 2 mil homens. Como se pretendia mover rapidamente, Creagh limitou seu suporte de blindagem a tanques leves e Cruiser/Cruzador. Em vertiginosa corrida, a Combe Force tomou Beda Fomm em 4 de fevereiro. Depois de estabelecer posições defensivas voltadas para o norte da costa, eles sofreram um ataque pesado no dia seguinte. Desesperadamente atacando a posição da Combe Force, os italianos falharam repetidamente. Durante dois dias, os 2 mil homens detiveram 20 mil italianos apoiados por mais de 100 tanques. Em 7 de fevereiro, 20 tanques italianos conseguiram penetrar as linhas britânicas, mas foram destruídos pelas peças de artilharia de campo da Combe Force. Mais tarde naquele dia, com o restante da 7ª Divisão Blindada chegando e os australianos avançando do norte, o 10º Exército começou a se render em massa. As dez semanas da Operação Compasso conseguiram expulsar o 10º Exército do Egito e eliminá-lo como força de combate. Durante a campanha, os italianos perderam cerca de 3 mil soldados mortos e 130 mil capturados, além de aproximadamente 400 tanques e 1.292 peças de artilharia. As perdas da Força Oeste do Deserto foram limitadas a 494 mortos e 1.225 feridos. Uma derrota esmagadora para os italianos. Os britânicos não conseguiram explorar o sucesso da Operação Compasso, pois Churchill ordenou que o avanço parasse em El Agheila e começou a retirar as tropas para ajudar na defesa da Grécia. Logo após essa grande derrota, Adolf Hitler enviou o Afrikakorps, sob o comando de general Erwin Rommel (mais tarde conhecido como a "Raposa do Deserto"), para enfrentar os britânicos na Operação Sonnenblume, mudando radicalmente o curso da guerra no norte da África. Isso levaria a batalhas com os alemães vencendo em lugares como Gazala, antes de serem parados na primeira batalha de El Alamein e esmagados na segunda batalha de El Alamein.
   


                                        FORÇAS:

BRITÂNICOS.                                               ITALIANOS.

36 mil soldados.                                        150 mil soldados.
120 canhões de artilharia.                              1.600 canhões de artilharia.
275 tanques.                                                   600 tanques.
142 aviões.                                                     331 aeronaves.

                                                                 BAIXAS:
  500 mortos.                                               5.500 mortos.
    55 desaparecidos.                                 115 mil capturados.
1.373 feridos.                                                 400 tanques destruídos.
    15 aeronaves abatidas.                             1.292 armas pesadas perdidas.
                                                                     564 aviões abatidos.



FDC 50º ANIVERSÁRIO OPERAÇÃO COMPASSO.


MAPA DAS AÇÕES OPERAÇÃO COMPASSO.


TANQUE MATILDA.


TANQUE MK1 CRUISER.


VEÍCULO BLINDADO ROLLS-ROYCE - 1924.


FORTE CAPUZZO.


TANQUE MATILDA EXIBINDO BANDEIRA DO REINO DA ITÁLIA COMO TROFÉU DE GUERRA.


PATRULHA 7ª DIVISÃO BLINDADA DE TANQUES LEVES "RATOS DO DESERTO".


CANHÕES INGLESES DE 150 MM PRONTOS PARA AÇÃO EM TOBRUK.


INFANTARIA AUSTRALIANA PRONTA PARA AVANÇAR SOBRE OS ITALIANOS.


COLUNA DE TANQUES ITALIANOS M13/40.


TANQUE LEVE ITALIANO L3/33.


TANQUES LEVES ITALIANOS CAPTURADOS.


TANQUES ITALIANOS CAPTURADOS NA BATALHA DE BEDA FOMM.


PRISIONEIROS ITALIANOS DE SIDI BARRANI.


PRISIONEIROS ITALIANOS APÓS RENDIÇÃO NA OPERAÇÃO COMPASSO.


LIVRO: "OPERAÇÃO COMPASSO - 1940".
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum