ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: O NAUFRÁGIO E O INCIDENTE LACONIA - 1942!!!

Ir em baixo

ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: O NAUFRÁGIO E O INCIDENTE LACONIA - 1942!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Sex Nov 09 2018, 09:38

Compartilho com os colegas, "O Incidente Laconia - 1942".


                                                    O INCIDENTE LACONIA.

Às 22h:07 do dia 12 de setembro de 1942, o navio BTt (British Troop transport/Transporte de Tropas Britânicas) Laconia foi atingido por dois torpedos lançados do submarino/U-boot alemão U-156, a cerca de 560 quilômetros a nordeste da Ilha de Ascensão e afundou às 23h:23. Aquilo que veio a ficar conhecido como o "Incidente do Laconia" foi o dia em que o paquete com esse nome foi torpedeado por um submarino alemão em pleno Atlântico Sul. O RMS Laconia era um navio de passageiros relativamente novo, fora lançado à água em 1921, deslocando 20 mil toneladas e que, com a guerra, fora requisitado pelo Almirantado britânico para transporte de tropas. Naquela que seria sua última viagem, ele saíra dos portos do Oriente Médio Suez e Aden, navegando ao longo do Índico e da costa oriental da África, Mombaça e Durban, transportava sobretudo prisioneiros italianos que haviam sido capturados pelos britânicos por ocasião das campanhas da África Oriental italiana (Eritréia, Abissínia e Somália). Acompanhavam uma escolta de soldados britânicos para os guardar. Um terceiro grupo a bordo era o de soldados poloneses que tinham uma história complicada para ali se encontrarem: haviam sido capturados e aprisionados pelos soviéticos, quando estes haviam invadido a Polônia em 1939. Os comunistas haviam executado um apreciável número de oficiais no célebre "Massacre de Katyn", mas outras patentes continuaram aprisionadas. A invasão da União Soviética pela Alemanha nazista em junho de 1941 tornara os russos e poloneses em aliados, assim, a pedido das autoridades polonesas no exílio em Londres, os soviéticos começaram a libertá-los e a transportá-los para o Irão, um país neutro, onde, através de uma viagem de circum-navegação se juntariam às unidades da Polônia Livre que estavam a se constituir na Grã-Bretanha. Um último grupo a bordo era dos passageiros civis. Neste trecho da viagem, entre a cidade do Cabo na África do Sul e com a chegada prevista para Freetown na Serra Leoa, seguiam a bordo do BTt Laconia, 1.809 prisioneiros italianos, 286 soldados britânicos para os guardar, 103 soldados poloneses, auxiliando também os britânicos nas tarefas de guarda dos prisioneiros, 80 civis, mulheres e crianças e 463 oficiais e tripulantes, um total de 2.741 pessoas. Já era noite, quando o BTt Laconia foi atingido pelo primeiro torpedo. O autor do torpedeamento fora o submarino/U-boot U-156, comandado pelo capitão Werner Hartenstein (1908-1943). Um segundo torpedo disparado, precipitou o afundamento do navio uma hora depois. Embora as explosões e o afundamento tivessem provocado um número considerável de vítimas, os tripulantes alemães do submarino ficaram surpreendidos com o número inesperado de milhares de sobreviventes em botes salva-vidas e à tona na água. Mais do que isso, outra surpresa foi a nacionalidade italiana de muitos deles, numa época em que, alemães e italianos aliados constituíam o Eixo. O comandante Hartenstein começou imediatamente uma operação de resgate e pediu ajuda por rádio, tanto para outros U-boots próximos, quanto para qualquer embarcação, sob a promessa de cessar-fogo. Nos dias subsequentes ao afundamento, o U-156 salvou cerca de 400 pessoas, mantendo 200 a bordo e outras 200 em botes salva-vidas. Em 15 de setembro, às 11h:30, o U-506, comandado pelo comandante Erich Würdemann chegou à cena do afundamento e prosseguiu com o resgate. Poucas horas depois foi a vez do U-507 com o comandante Harro Schacht e por último o submarino italiano Cappelini, tendo no comando o capitão Marco Revedin. Os franceses de Vichy, aliados dos alemães, responderam positivamente a ajuda, mas os anglo-saxônicos desconfiaram que se trataria de uma armadilha alemã. Os quatro submarinos revelaram serem insuficientes e desapropriados para acomodar ainda que uma ínfima parte dos náufragos. O que eles puderam fazer nos dias seguintes foi rebocar os botes salva-vidas até um ponto de encontro convencionado com os navios franceses, estes partindo dos portos das suas colônias africanas mais próximas. Os submarinos rumaram para a costa, rebocando os botes salva-vidas com centenas de sobreviventes, quanto dentro dos submarinos. Em 16 de setembro, às 11h:25, um bombardeiro B-24 Liberator do USAAC (Força Aérea do Exército dos EUA) operando da ilha de Ascenção, avistou os submarinos, que, naquele momento, exibiam bandeiras brancas com uma cruz vermelha. O piloto pediu instruções a base de como proceder e foi informado para atacar, o que foi feito às 12h:32, forçando os submarinos à cortar os cabos usados para rebocar os botes salva-vidas e submergir imediatamente. Poucas vidas se perderam no ataque do B-24 Liberator e, logo após, navios de guerra franceses do Governo Vichy vindos de Dacar, Marrocos, chegaram ao local reiniciando a operação de resgate. Entre 17 e 20 de setembro, 1.083 sobreviventes, entre eles 415 italianos, foram apanhados em botes salva-vidas ou diretamente dos U-boots pelos navios de guerra franceses de Vichy, Gloire, Dumont d´Urville e Annamite e levados para Dakar. Os 668 sobreviventes aliados foram trazidos para Casablanca pelo navio Gloire em 26 de setembro. A bordo estavam 1 oficial e 178 soldados da Marinha Real, 17 oficiais e 87 soldados do Exército Britânico, 9 oficiais e 70 soldados da Royal Air Force, 8 oficiais e 178 soldados da Marinha Mercante, 1 oficial e 69 soldados do Exército Polonês Livre e 50 mulheres e crianças. O incidente foi o estopim para que o almirante Karl Dönitz emitisse de imediato uma ordem proibindo os comandantes dos submarinos alemães de prestar qualquer assistência às tripulações dos navios que haviam acabado de afundar. O protagonista das ações, comandante Werner Hartenstein acabou tendo, escassos seis meses depois, aquele destino trágico que foi o de tantos outros comandantes de submarinos e seus subordinados, pereceram no mar. Em dezembro de 1942, o Comandante-em-Chefe da Marinha de Guerra alemã (Kriegsmarine), almirante Karl Dönitz, emitiu uma nova diretriz conhecida como "Ordem Laconia" (em alemão: Laconia Befehl) em consequência aos ataques aliados a submarinos alemães empenhados no salvamento de sobreviventes. Os seguintes itens teriam de ser seguido a risca:

1 - Todos os esforços para salvar sobreviventes de afundamentos, tais como resgatar homens na água e colocá-los em botes salva-vidas, rebocar barcos virados ou fornecer água ou comida, devem ser cessados. O resgate contradiz a mais básica das normas da guerra: a destruição de barcos hostis e suas tripulações.
2 - A ordem também concerne e tem efeito sobre capitães e chefes de máquinas.
3 - Somente serão resgatados se seu posto for importante para a marcha do navio.
4 - Mantenham-vos firmes. Recordem que o inimigo também não se preocupa com nossas mulheres e crianças, quando bombardeiam a Alemanha.

Nos Julgamentos de Nüremberg, após o final da Segunda Guerra, o almirante Karl Dönitz foi condenado a 11 anos e seis meses de prisão em razão da emissão da "Ordem Laconia", apesar de que seu advogado expusesse os motivos e ademais demonstrasse que os aliados operavam no Pacífico com ordens similares.


FDC 50 ANOS DO "INCIDENTE LACONIA".


U-BOOT/SUBMARINO ALEMÃO.


ALMIRANTE KARL DÖNITZ.


CAPITÃO WERNER HARTENSTEIN.


EMBLEMA U-156.


U-BOOT-156 (NO CENTRO).


NAVIO DE PASSAGEIROS RMS LACONIA.


CABO COLHER RMS LACONIA.


CANHÃO DE 150MM NO BTT LACONIA.


NÁUFRAGOS DO BTT LACONIA.


RESGATE DOS NÁUFRAGOS PELOS U-BOOT.


NÁUFRAGOS NO CONVÉS DE UM U-BOOT.


NÁUFRAGOS NO CONVÉS DO U-BOOT.


CAPITÃO WERNER NA TORRE OBSERVANDO RESGATE DOS NÁUFRAGOS.


COMANDANTE WERNER COM OS NÁUFRAGOS NO CONVÉS.


LIVRO: "O NAUFRÁGIO DO LACONIA".


LIVRO:"U-156 WERNER HARTENSTEIN
E O NAUFRÁGIO DO LACONIA".
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: O NAUFRÁGIO E O INCIDENTE LACONIA - 1942!!!

Mensagem por Helder em Sex Nov 09 2018, 17:51

Houve inclusive uma minisérie sobre esse evento: https://www.imdb.com/title/tt1504261/
avatar
Helder

Idade : 33
Localização : São Carlos / SP
Data de inscrição : 08/03/2009

http://menrva.xyz

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: O NAUFRÁGIO E O INCIDENTE LACONIA - 1942!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Sex Nov 09 2018, 18:49

Prezado,

este DVD relata com esmero os acontecimentos "Afundamento do Laconia". Agradecido.

avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: O NAUFRÁGIO E O INCIDENTE LACONIA - 1942!!!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum