INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL: UM NAVIO CHAMADO LA CORUÑA - 1940!!!

Ir em baixo

INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL: UM NAVIO CHAMADO LA CORUÑA - 1940!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Ter Abr 17 2018, 22:00

Compartilho com os colegas, "Um Navio Chamado La Coruña".


                                                  UM NAVIO CHAMADO LA CORUÑA.
                                                                H.S.D.G.,
                                                  HAMBURG-SÜDAMERIKANISCHE
                                               DAMPFSSCHIFFAHRTSGESELLSCHAFT.                                                                                                                                                   
Além de dois grandes navios de carga, a empresa H.S.D.G. possuía navios mistos, navios postais com duas hélices (Cap Norte e Antonio Delfino) e, sobretudo, o Cap Polonio com três hélices, considerado como a "maravilha mercante", sendo o mais moderno paquete que navegava pelo Atlântico Sul na época. Expressão da extraordinária rapidez da recuperação alemã, após a Primeira Guerra, era a qualidade das instalações internas de alguns desses navios. Como os navios España, La Coruña e Madeira (antigo Cap Verde), Villagarcia, Bilbáo, Argentina, Santa Fé, Santa Theresa, Rio de Janeiro e Paraná. Todos os navios tinham telegrafia sem fio a bordo. Os vapores da Hamburg-Südamerikanische Dampfsschiffahrtsgesellschaft/H.S.D.G faziam ligação de Hamburgo para o Brasil, Uruguai e Argentina, com correspondência direta, também, para o Chile e o Paraguai. A sua representação no Brasil era com a firma Theodoro Wille & Co, com sede na avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro. Um dos objetivos estratégicos da época foi a de oferecer condições dignas de viagem, também, a passageiros da terceira classe ou aqueles que provinham de países com moeda desvalorizada. Esses passageiros podiam viajar no España, no La Coruña, no Vigo e no Tucuman, a preços equivalentes ao de segunda classe de um paquete rápido. A classe de navios Espanha foi uma série de três navios gêmeos, a vapor, batizados de: España, La Coruña e Vigo. O trio de navios foi comissionado em 1917, mas a construção foi atrasada, devido a Grande Guerra e foram entregues no ano de  1922. Em 1927, todos os três navios foram equipados com turbinas de exaustão, que aumentaram seu desempenho em cerca de 800 hp e, em 1936, as instalações para os passageiros do convés intermediário foram ampliadas. Duas destas unidades foram afundadas, durante a Segunda Guerra Mundial.
                                                      DADOS TÉCNICOS LA CORUÑA:

Empresa: Hamburg-Süd.
Rota de navegação: Europa - Amércia do Sul.
Dimensões: comprimento: 126 m; Largura: 16,80 m.
Tripulação: 78 marinheiros.
Número de passageiros: 1ª e 2ª classe: total 678 - 3ª classe: 196.
Fabricação: Reiherstiegwerft, Hamburgo/Alemanha.
Lançamento: 16/09/1921. Entrega: janeiro de 1922.
Máquina: 1 motor a vapor de expansão tripla.
Desempenho: 3.000 Hp (2.206 kW).
Hélice: 1 hélice de passo fixo.
Velocidade máxima: 22 km/h.

                                                      SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.

Em setembro de 1939, o SS Maloja, transatlântico britânico pertencente a P&O “Peninsular and Oriental Steam Navigation Company” foi requisitado pelo Almirantado Britânico para ser convertido em um cruzador mercante armado (AMC-Armed Merchant Cruiser) em Bombaim, na Índia. A conversão foi concluída em 24 de novembro de 1939. O SS Maloja foi armado com 8 canhões de 152mm como armamento primário, dois canhões de 76mm como secundário e artilharia anti-aérea. Ele se juntou à batalha do Atlântico como "Cruzador Mercante Armado HMS Maloja". A missão inicial do HMS Maloja, agora incorporado a Patrulha Naval do Norte, era patrulhar o Estreito da Dinamarca, entre a Islândia e a Groenlândia. Quiz o destino que o HMS Maloja e o navio La Coruña, tivessem um único e fatal encontro. Em 09 de fevereiro de 1940, o navio La Coruña parte do Rio de Janeiro em direção à Europa. Usa uma rota singular na tentativa de fugir a vigilância e inspeção dos navios Aliados. Em 13 de março de 1940, o HMS Maloja intercepta um navio mercante com bandeira japonesa em alto mar, a sudeste da Islândia. O comandante do HMS Maloja desconfia deste navio e pelas caracterísitcas parece ser o La Coruña que está usando uma bandeira japonesa e se identifica como sendo o navio Taki Maru. Embora a tripulação do HMS Maloja suspeitasse que o navio fosse alemão, eles foram impedidos de embarcar e fazer as inspeções no navio, devido as péssimas condições climáticas em alto mar. Quando o tempo clareou, ficou claro que o navio desconhecido era o La Coruña, da linha Hamburg-South America. Antes de o navio poder ser abordado, o capitão e sua tripulação decidiram afundar o navio. Explosivos são preparados no seu interior. Sua tripulação, sem demonstrar suas intenções aos birtânicos, detonou várias cargas explosivas, assim, afundaram seu próprio navio para que este não caísse nas mãos dos ingleses e tão pouco soubessem o que transportavam. Todos os 68 tripulantes sobreviveram, abandonando o navio em botes salva-vidas, antes das explosões. Os 68 tripulantes foram resgatados pelo HMS Maloja e feitos prisioneiros de guerra, mas antes disso, o La Coruña encontrou seu descanso final no fundo do mar. Com o final da guerra, em 15 de janeiro de 1947, o HMS Maloja foi devolvido à P & O e foi ancorado no Royal Albert Dock, em Londres, para seu recondicionamento civil pela empresa R & H Green & Silley Weir. Após a independência da República da Indonésia, em 1948, forçou os civis holandeses a serem repatriados para a Holanda. O repatriamento começou via SS Maloja. Em agosto de 1950, o SS Maloja ajudou nas repatriações que foram completadas em 1951. Em 19 de janeiro de 1954, o SS Maloja chegou a Tilbury, Londres, sendo esta sua última viagem. Em 2 de abril de 1954, o SS Maloja foi transferido para Inverkeithing, na Escócia, onde foi desmantelado. A empresa britânica British Iron and Steel Corporation Ltd/Salvage, pagou £165.000 por ele. Todo o trabalho de sucateamento do navio foi realizado pela empresa Thos W. Ward Ltd, restando apenas a sua história para ser contada.

CARIMBO LINIE HAMBURG-SÜDAMERIKA - 09/09/1909.


BILHETE POSTAL CIRCULADO PARA VILLEMONBLE/FRANÇA.


ENVELOPE CARIMBO MARSEILLE-GARE - 1939 - PAQUEBOT.


VERSO ENVELOPE "SS MALOJA" - P&O - PENINSULAR AND ORIENTAL.


FOLHETO DE PROPAGANDA H.S.D.G.


NAVIO DE PASSAGEIROS LA CORUÑA.


TRANSATLÂNTICO DE PASSAGEIROS SS MALOJA.


TRANSATLÂNTICO SS MALOJA.


CANHÃO DE 3 POLEGAS.


CANHÃO DE 6 POLEGADAS.


HMS MALOJA, ESTREITO DA DINAMARCA - INVERNO 1940.


HMS MALOJA - TRIPULAÇÃO.


NAVIO LA CORUÑA - 13 DE MARÇO DE 1940.


EXPLOSÃO (CENTRO DA FOTO) PÕE A PIQUE O LA CORUÑA.


Última edição por Antonio C. Pulsy em Qua Abr 18 2018, 17:18, editado 1 vez(es)
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL: UM NAVIO CHAMADO LA CORUÑA - 1940!!!

Mensagem por Christian Bernardi em Ter Abr 17 2018, 23:49

Excelente postagem Antonio! Gostei das imagens e do material apresentado! Obrigado mais uma vez por compartilhar! Abraços amigo!
avatar
Christian Bernardi

Idade : 44
Localização : Pernambuco
Data de inscrição : 05/07/2014

http://filateliabernardi.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL: UM NAVIO CHAMADO LA CORUÑA - 1940!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Qua Abr 18 2018, 17:17

Prezado,

agradecido.
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: INGLATERRA - 2ª GUERRA MUNDIAL: UM NAVIO CHAMADO LA CORUÑA - 1940!!!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum