ESTADOS UNIDOS - 2ª GUERRA MUNDIAL: A BATALHA DAS ILHAS DE SANTA CRUZ - 1942!!!

Ir em baixo

ESTADOS UNIDOS - 2ª GUERRA MUNDIAL: A BATALHA DAS ILHAS DE SANTA CRUZ - 1942!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Sab Abr 07 2018, 21:09

Compartilho com os colegas, "A Batalha das Ilhas de Santa Cruz - 1942".


                                           A BATALHA DAS ILHAS DE SANTA CRUZ.

A Batalha das Ilhas de Santa Cruz ou a Batalha de Santa Cruz, nas Ilhas Salomão, aconteceu entre 25 e 27 de outubro de 1942, e foi a quarta batalha naval entre forças dos Estados Unidos e do Japão pelo controle do Oceano Pacífico, e pode-se considerar uma das batalhas que no final de 1942 e inicio de 1943, determinaram o controle da estratégica ilha de Guadalcanal, que para os japoneses, marca o ponto da virada da guerra no Oceano Pacífico. A batalha ocorre na sequência de mais uma tentativa japonesa de expulsar as forças americanas que tinham desembarcado na ilha de Guadalcanal em 7 de agosto, e tomado posições defensivas em torno do aeródromo de Henderson Field. Em 20 de outubro, tinha tido inicio uma grande ofensiva terrestre por parte dos japoneses contra as posições controladas pelas forças dos Estados Unidos na ilha de Guadalcanal. Os japoneses decidiram que esse ataque terrestre seria coordenado com um posicionamento da sua frota, que teria o intuíto de impedir qualquer reabastecimento às forças norte-americanas na ilha. Com esse objetivo em mente, os japoneses enviam uma frota constituída por quatro porta-aviões, dois couraçados, 10 cruzadores e 22 destróieres. A força japonesa estava dividida em três grupos principais da seguinte forma:

Força 1 – Uma Força Avançada (Vice-Alm. Kondo), destinada a ser uma força rápida de prospecção e reconhecimento. A Força Avançada, deveria utilizar os canhões dos seus dois couraçados rápidos para destruir qualquer navio inimigo, utilizando o porta-aviões Junyo para apoiar se necessário, os navios maiores.
Força 2 – Força Principal (Alm. Nagumo), destinada a apoiar a Força Avançada, era constituída por três porta-aviões, o Shokaku, Zhuikaku e Zhuio, escoltados por um cruzador e oito destróieres. Estes navios deveriam ficar longe de qualquer combate direto e serviriam apenas para lançar os seus aviões contra os navios inimigos.
Força 3 – Força de Vanguarda (Contra-Alm. Abe), composta por dois couraçados rápidos, o Hiei e o Kirishima.
No total, os quatro porta-aviões japoneses contavam com 212 aviões.
A função principal da força será a de impedir o reabastecimento dos americanos em Guadalcanal, atacando a esquadra americana. As forças dos Estados Unidos, sob o comando do Almirante Halsey, colocado no comando havia apenas alguns dias, e designada por TF-61 (Task Force 61), encontravam-se divididas em dois grupos (também designado como Task Force), cada uma com um porta-aviões como navio principal:

1 - A TF-16, ou grupo "Enterprise", constituído pelo porta-aviões Enterprise, pelo novo couraçado South Dakota (9 canhões de 405mm), os cruzadores Portland e San Juan e uma escolta de oito destróieres.
2 - A TF-17 ou grupo "Hornet", constituído pelo porta-aviões Hornet, e os cruzadores Pensacola, Northampton, San Diego e Juneau, e sete destróieres.
No total os dois porta-aviões da TF-61 dispunham de 169 aviões.

Halsey, previu com precisão a ação japonesa, ainda mais que as forças americanas em terra continuavam a ser atacadas. No dia 25, pouco após do meio-dia, um avião Catalina detectou a presença de uma força japonesa. A TF-61 recebe ordens para interceptar os japoneses. Os americanos lançam seus aviões contra os japoneses às 15:30, mas percebendo que tinham sido descobertos, os japoneses invertem a rota e dirigem-se para o norte, não tendo sequer sido vistos pelos aviões americanos. Ao cair da noite, perdeu-se a posição da força japonesa. Apenas 11 minutos após a meia noite, já no dia 26, outro Catalina detecta, novamente, a esquadra japonesa a 500km de distância dos porta-aviões norte-americanos. Às 03:15 da manhã, aeronaves Catalina encontram o porta-aviões Zhuikaku e reportam a sua posição. Poucas horas depois, o Almirante Halsey, dá ordens para que os aviões da TF-61, Entrerprise e do Hornet atacarem os japoneses. Às 06:05, os primeiros 16 bombardeiros de mergulho "Dauntless", decolam do porta-aviões Enterprise. Pouco depois de terem decolado, os aviões americanos reportam a presença de couraçados japoneses a apenas 140km de distância dos porta-aviões, tratava-se da Força 3 do Almirante Abe, mas o objetivo dos aviões americanos são os porta-aviões japoneses. Menos de meia hora depois, por volta das 06:45, são detectados os porta-aviões Shokaku e Zhuikaku da Força Principal japonesa. O terceiro porta-aviões dessa força não é imediatamente localizado. Os japoneses, por sua vez, não tinham estado inativos, e seus aviões de patrulha tinham identificado a força americana às 06:58 da manhã. Os japoneses já estavam por isso de sobreaviso, quando os aviões Dauntless do Enterprise se aproximam. A maioria dos bombardeiros americanos tem que entrar em combate com os caças japoneses, mas dois deles conseguem atacar o porta-aviões Zhuio com duas bombas certeiras de 235kg cada e que colocam o navio fora de ação às 08:30 da manhã. Mas antes desta operação, por volta das 08:18, os porta-aviões japoneses já tinham lançado a sua primeira vaga de ataque contra os navios americanos, constituída por 65 aviões. Logo que o Hornet, que seguia mais atrás, está ao alcance, lança a sua primeira vaga de 29 aviões às 08:40. Às 09:00, o Enterprise lança mais 20 aviões e quinze minutos depois, é o Hornet que lança mais 25 aeronaves contra os japoneses. Tendo lançado todos os seus aviões, a Força Americana apenas aguarda o ataque dos aviões japoneses, que se cruzam no ar com os aviões americanos. Vários combates aéreos ocorrem entre os caças japoneses e os caças americanos. O nevoeiro decide o destino dos navios americanos. O Enterprise que seguia à frente, entrou numa zona de nevoeiro densa que ocultou o navio e a sua escolta, enquanto mais atrás, o Hornet continuava numa zona sem nuvens, a céu aberto. Não detectando o outro porta-aviões, os japoneses concentram seu ataque no Hornet. Embora o navio aguardasse o ataque e toda a escolta estivesse disposta para responder, a primeira esquadrilha de bombardeiros "Val", aproximou-se por volta das 08:50 e a primeira bomba caiu às 09:11. O ataque foi violento e o próprio comandante da esquadrilha de ataque japonesa, com o seu avião atingido, joga-se contra a ponte de comando do Hornet. A partir deste momento, o navio fica ingovernável. Exatamente à mesma hora, as coisas também não corriam bem para os japoneses, pois a quase 200km de distância, os aviões que o Hornet havia lançado, tinham atacado pesadamente o cruzador Chikuma, e os cruzadores pesados Tone e Nachi. Às 09:30, os aviões lançados pelo Enterprise atingem o couraçado Kongo com duas bombas de 450kg, à mesma hora que outro grupo de bombardeiros americanos atinge o porta-aviões Shokaku com quatro bombas de 450kg que danificam o navio mas não o afundam (será recuperado e estará operacional 10 meses depois). Durante o confronto, o porta-aviões Enterprise, que ficará conhecido como o mais sortudo porta-aviões americano, chega a ser atacado às 10:15, mas suas baterias anti-aéreas com canhões de 40mm, ajuda a derrotar os ataques japoneses. Os americanos ainda tentam rebocar o Hornet, mas o fogo a bordo é intenso e uma enorme coluna de fumaça é visível a grande distância. Os aviões japoneses que ainda operam a partir do Zhuikaku e do Junyo, lançam-se novamente contra os navios americanos. O Enterprise mais uma vez escapa ileso, mas o cruzador Northampton que estava rebocando o Hornet é forçado a livrar-se das amarras para evitar as bombas. O Hornet ficou imóvel e começou a inclinar-se acentuadamente. Perante esta situação é dada ordem para abandonar o navio às 16:00. Mais tarde, destróieres americanos tentam afundá-lo, sem sucesso e serão navios japoneses que acabarão por colocá-lo a pique no dia seguinte com torpedos. A ação japonesa estava combinada com a ação em terra e, tornava-se necessário a tomada de Henderson Field. Como a tomada da pista não se confirmou durante o dia 26, os japoneses ainda consideram a possibilidade de perseguir os americanos, mas a possibilidade de serem atacados por aviões baseados em terra e o fato de terem perdido demasiado número de pilotos, levam o Comando a dar ordem de retirada. A batalha foi inconclusiva, mas embora tenha deixado a esquadra americana no Pacífico numa situação critica, reduzida a apenas um porta-aviões, o Enterprise, serviu para colocar fora de serviço três porta-aviões japoneses que demorariam muitos meses para voltarem ao serviço. Esse espaço de tempo revelou ser vital, pois era tempo útil para que os Estados Unidos colocassem novos meios a serviço no Pacífico. Além disso, o porta-aviões Enterprise, o único porta-aviões americano no Pacífico no fim de 1942, voltou ao serviço logo em 11 de novembro, completamente operacional, com seu complemento completo de aviões de caça, bombardeiros e aviões torpedeiros. Nesse dia, apenas havia dois pequenos porta-aviões japoneses na área, que além disso, nem sequer dispunham de aviões ou pilotos. Mas para a moral japonesa, a batalha foi importante, principalmente, porque nos dias seguintes, a Rádio de Tokyo afirmava que "o Japão tinha tido uma grande vitória com o afundamento de três porta-aviões, um couraçado, dois cruzadores e um destróier americano".


USS ENTERPRISE.


USS HORNET.


PORTA-AVIÕES USS ENTERPRISE.


PORTA-AVIÕES USS HORNET.


COURAÇADO USS SOUTH DAKOTA.


CRUZADOR USS PORTLAND.


CRUZADOR USS PENSACOLA.


CRUZADOR USS NORTHAMPTON.


CRUZADOR USS SAN DIEGO.


CRUZADOR USS JUNEAU.


PORTA-AVIÕES SHOKAKU.


PORTA-AVIÕES JUNYO.


PORTA-AVIÕES ZUIKAKU.


COURAÇADO HIEI.


COURAÇADO KIRISHIMA.


CRUZADOR KONGO.


CRUZADOR CHIKUMA.


CRUZADOR TONE.


CRUZADOR NACHI.


BOMBARDEIRO JAPONÊS ABATIDO PELA ARTILHARIA DO PORTA-AVIÕES ENTERPRISE.


BOMBARDEIRO JAPONÊS EM MERGULHO DE ENCONTRO AO PORTA-AVIÕES HORNET.


PORTA-AVIÕES HORNET NO MOMENTO DA
EXPLOSÃO DE AVIÃO SUICIDA.


BOMBARDEIRO DE MERGULHO DOUGLAS SBD DAUNTLESS.


BOMBARDEIRO DE MERGULHO AICHI D3A1 VAL.
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum