ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: WERNER MÖLDERS, UM ÁS NOS CÉUS - 1941!!!

Ir em baixo

ALEMANHA - 2ª GUERRA MUNDIAL: WERNER MÖLDERS, UM ÁS NOS CÉUS - 1941!!!

Mensagem por Antonio C. Pulsy em Sab Abr 07 2018, 08:11

Compartilho com os colegas, "Werner Mölders, Um Ás nos Céus- 1941".


                                                            WERNER MÖLDERS,
                                                             UM ÁS NOS CÉUS.

Werner Mölders (nasceu em Gelsenkirchen, Alemanha em 18 de março de 1913 - faleceu na Braslávia, Polônia em 22 de novembro de 1941) foi um piloto alemão da Luftwaffe, durante a Segunda Guerra Mundial e um ás da aviação na Guerra Civil Espanhola. Mölders foi o primeiro piloto da história da aviação a ter conseguido mais de 100 vitórias, tendo voado mais 400 missões de combate, cerca de 100 na Espanha. Mölders entrou na Luftwaffe em 1934 aos 21 anos. Em 1938, ele voluntariou-se para a Legião Condor, que apoiou os nacionalistas do General Francisco Franco na Guerra Civil Espanhola, e abateu 15 aviões. Na Segunda Guerra Mundial, ele perdeu dois companheiros na Batalha da França e na Batalha da Grã-Bretanha, mas abateu 53 aviões inimigos. Contando com 68 vitórias, Mölders e sua unidade, a Jagdgeschwader 51 (JG 51), foram transferidos para a Frente Oriental em junho de 1941 para o início da Operação Barbarossa. Ao final de 22 de junho de 1941, o primeiro dia da Barbarossa, ele havia acrescentado mais quatro vitórias em seus registros e uma semana depois, Mölders já havia ultrapassado o recorde de Manfred von Richthofen com suas 80 vitórias. Werner Mölders foi o primeiro piloto de caça alemão a ultrapassar esta marca lendária. Em meados de julho, ele tinha 100 aviões abatidos. Werner Mölders era filho do professor Viktor Mölders e sua esposa Annemarie Mölders. Era o terceiro de quatro filhos com uma irmã mais velha, Anemarie, um irmão mais velho, Hans, e um irmão mais novo, Victor. Após seu pai ser morto em combate em 2 de março de 1915 na Floresta de Argonne na França, durante a 1ª Guerra Mundial, sua mãe se mudou com a família para a casa de seus pais em Brandenburg an der Havel. Quando Hitler assumiu o poder na Alemanha e decretou a volta do alistamento obrigatório, Mölders se candidatou no chamado Exército dos Cem Mil Homens, logo após completar o colegial, onde passou por uma difícil seleção, onde de 61 candidatos, apenas três seriam aprovados. Passou por um período de treinamento no 2º Regimento de Infantaria em Allenstein (Prússia). Após este período de treinamento, se apresentou para ser membro da Luftwaffe, sendo numa primeira avaliação considerado inapto para pilotar, devido ao fato de ter sentido dores de cabeça e tonturas. Não desistiu e pediu um novo teste para a aprovação, sendo desta vez considerado apto para o serviço. Em seguida foi para uma escola de voo militar na cidade de Cottbus. Passou quase um ano aprendendo técnicas de bombardeio na unidade Stukageschwader Immelmann, em 1935, quando este foi enviado para Wiesbaden para a formação de uma nova Geschwader. Com o início da guerra civil espanhola, Hitler mandou ajuda ao General Francisco Franco e Mölders assumiu o Comando do 3./JGr 88 (3º Staffel do Jagdgruppe 88), sendo sucessor de Adolf Galland, obtendo a sua primeira vitória pilotando um Me 109 Bf. Promovido para Hauptmann (Capitão), terminou sua participação na Guerra Civil Espanhola como sendo o mais bem sucedido piloto daquele conflito, terminando com um saldo de 14 aeronaves inimigas abatidas. Voltou para a Alemanha em março de 1939, onde recebeu o comando do 3./JG53 (3º Staffel da Jagdgeschwader 53"Pik-As"), sendo recebedor da Cruz Espanhola em Ouro com Diamantes pelos serviços prestados. Já na Segunda Guerra Mundial, teve a sua primeira vitória em 20 de setembro de 1939, quando abateu um Curtiss Hawk 75A. Com a seqüencia de suas vitórias, ele recebeu as primeiras condecorações da Segunda Guerra, tendo recebido por sua primeira vitória a Cruz de Ferro de 2ª Classe, com a sétima vitória a Cruz de Ferro de 1ª Classe e após a vitória de número 20, a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 29 de maio de 1940 das mãos do Reichsmarschall Hermann Göring, sendo o primeiro piloto de caças a receber esta condecoração. Em 5 de Junho de 1940, conquistou a sua 24ª e 25ª vitórias, sendo abatido em seguida e forçado a saltar atrás das linhas inimigas, sendo capturado pelos franceses, onde foi vítima de maus tratos, sendo auxiliado pelo Coronel Dessous, um oficial da Inteligência do Exército Francês. Estes dois de tornaram amigos, mesmo após a rendição dos franceses em junho de 1940, quando Mölders foi libertado do Campo de Montferrat. As suas famílias continuaram a se comunicar, mesmo após a morte destes dois. Foi promovido a Major em 19 de julho de 1940 e acabou sendo designado Geschwaderkommodore Jagdgeschwader 51, liderando este esquadrão durante a Batalha da Inglaterra. O Major Mölders alcançou a sua 40ª vitória em 20 de setembro de 1940, voando no mesmo dia para Berlim para de receber a condecoração Cruz de Ferro da Cruz de Cavaleiro com Folhas de Carvalho. Foi promovido a Oberstleutnant (Tenente-Coronel) em novembro de 1940 e indicado por Hermann Göring para se tornar General der Jagdflieger, mas recusou o convite. Após atingir sua 72ª vitória, foi condecorado com a Cruz de Ferro com Espadas em 22 de junho de 1941. Em 17 de julho de 1941, Mölders abateu mais duas aeronaves e atingiu a sua 100ª e 101ª vitórias, sendo o primeiro piloto a passar esta marca. Por este feito foi condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro com Folhas de Carvalho, Espadas e Diamantes. Na cerimônia de entrega, mostrou toda a sua coragem, quando Hitler lhe perguntou se ele tinha um pedido pessoal a fazer, e sem pensar duas vezes, disse ao Führer "que cessassem com as perseguições ao Bispo Católico de Münster" (Opositor ao Regime Nazista). O local todo ficou em silêncio, já que ninguém fazia nenhuma exigência a Hitler, e este lhe assegurou que as Igrejas seriam respeitadas. Mais tarde foi indicado como General der Jagdflieger, sendo proibido de voar em missões de combate. Em 22 de novembro de 1941, Mölders visitava a III/JG77, quando foram dadas ordens para retornar a Berlim, onde iria participar do funeral de Ernst Udet (grande piloto da I Guerra Mundial, tendo atingido a marca de 62 vitórias), que havia cometido suicídio, dias antes. Partiu num bimotor Heinkel He 111 e este teve uma falha num dos motores que parou de funcionar, tentaram se aproximar do campo de pouso de Breslau-Hundsfeld, mas antes de chegar, o outro motor também começou a falhar e parou, assim, o avião mergulhou em direção ao solo, onde veio a se estatelar. Werner Mölders não resistiu a gravidade dos ferimentos, vindo a falecer. Em sua homenagem, a Jagdgeschwader 51 foi renomeado de "Jagdgeschwader Mölders."

"Nós eramos apenas pilotos de caça. Werner Mölders era algo mais."
Generalmajor Dietrich Hrabak.


MESSERSCHMITT BF 109.


MESSERSCHMITT BF 109G.


PILOTO WERNER MÖLDERS.


PILOTO WERNER MÖLDERS.


PILOTO WERNER MÖLDERS.


WERNER MÖLDERS EM SEU CAÇA MESSERSCHMITT BF 109.


CURTISS HAWK 75A, PRIMEIRO AVIÃO ABATIDO POR WERNER MÖLDERS.


FUNERAL MILITAR DE WERNER MÖLDERS. 1º A ESQ. PILOTO ADOLF GALLAND. 28/11/1941.


FUNERAL DE WERNER MÖLDERS, A FRENTE MARECHAL HERMANN GÖRING. 28/11/1941.


LÁPIDE TÚMULO WERNER MÖLDERS.


LIVRO BIOGRÁFICO DE WERNER MÖLDERS.
avatar
Antonio C. Pulsy

Idade : 62
Localização : Canoas/RS.
Data de inscrição : 24/04/2014

http://antonio.pulsy@bol.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum